A hora é essa

Publicado em 24/07/2013 às 10:00
Leitura:
Os jovens estão no centro da agenda pública desta semana, priorizados pela Jornada Mundial da Juventude, evento promovido pela Igreja Católica com a participação do papa Francisco. Em dois momentos, anteontem, o papa externou a sua preocupação com esse grupo. No voo a caminho do Brasil, falou para a imprensa sobre os riscos de uma geração de jovens que está sem emprego em função da grave crise econômica que se espalha por inúmeros países. No primeiro discurso em solo brasileiro, continuou no mesmo tom. Advertiu para o perigo dos governos não trabalharem na direção de dar mais educação e meios materiais para a juventude. Nesse sentido, apesar do discurso fofo da solenidade com o papa, Dilma Rousseff destinou uma parte de sua coluna “conversa com a presidente”, veiculada ontem nos jornais, para prestar contas das ações que o governo tem promovido a fim de ampliar os cursos profissionalizantes e as escolas técnicas. Também decidiu criar um gabinete digital com o objetivo de se aproximar desse público que tem se expressado e se comunicado pelas redes sociais. O ex-presidente Lula não ficou atrás, recebeu um grupo de jovens em seu instituto para ouvir as demandas e defender ações para beneficiá-los em áreas como direitos humanos e cultura. Hoje, Lula e Dilma estão em Salvador para fechar o ciclo de comemorações dos 10 anos do PT no governo federal. Espera-se um discurso forte e antenado com os gritos das ruas, priorizando os jovens.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias