A chuva de verão continua

Publicado em 29/01/2014 às 10:12
Leitura:
Fernando Bezerra Coelho deu mais uma demonstração do quanto é difícil para o governador Eduardo Campos acabar com a tal “chuva de verão”. Um termo utilizado pelo presidenciável para minimizar as movimentações dentro do próprio PSB em torno dos nomes de Tadeu Alencar, Paulo Câmara, João Lyra e o próprio Bezerra Coelho. Parte do grupo defende a tese da nova política, o que favorece a indicação dos técnicos. A outra apoia a boa política, que valoriza a experiência dos que militam no campo. O ex-ministro se inscreve neste 2º grupo. Na entrevista à JC News, FBC falou que espera ser o candidato ao governo. Não quer o Senado. Para o cargo, os simpatizantes da tese da boa política apostam em  Jarbas Vasconcelos. Quando indagados sobre a resistência ao nome do senador, que encarna a imagem do político anti-Lula, eles já têm uma resposta: a possível rejeição à chapa, causada por essa posição de Jarbas, seria neutralizada pelo próprio FBC, ex-ministro do governo do PT e amigo de Lula. É, poder ser, mas o PT se encarregará de lembrar as críticas, apostando na popularidade de Lula. Até Geraldo Julio, sempre comedido, falou ontem sobre sucessão. Defendeu a tese da nova política e dos técnicos. Com tanta efervescência, especula-se que a chapa será apresentada na 1ª quinzena de fevereiro em vez de março, como falou Eduardo, semana passada. É muita resenha.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias