Os dois lados do PSB

Publicado em 07/02/2014 às 10:00
Leitura:
O processo de escolha dos nomes que irão compor a majoritária da nova Frente Popular tomou outro ritmo após o senador Jarbas Vasconcelos desistir de disputar a reeleição e sugerir o nome de Raul Henry para a vice. Entre os aliados do governador Eduardo Campos, a expectativa é que o anúncio ocorra na próxima semana. Ninguém está mais preocupado em defender este ou aquele nome. Todos querem que o presidenciável se pronuncie logo e acabe com esse clima cortante, que cria um enredo de suspense. Isso porque a cada hora que passa surge uma nova informação para tornar o processo mais desgastante. Circulou ontem que a cúpula nacional do PMDB poderia intervir no estadual e levar a sigla para Armando Monteiro. O que foi prontamente desmentido pelos líderes locais. Justificaram que não é tradição do PMDB fazer isso, mas, sim, respeitar o contexto local. E se a nacional fizesse em PE, teria que intervir em outros Estados onde a relação com o PT está conturbada, a exemplo do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. O fato é que o processo de debate da candidatura de Eduardo para presidente difere e muito das articulações em Pernambuco. No nacional, o diálogo com os partidos ocorre em paralelo à construção de um programa de governo. Aqui, os atores se movimentam para conquistar espaço na cena pós-Eduardo. Esquecem o mais importante: apresentar propostas, mesmo que seja para dar continuidade ao que já está aí.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias