O sprojetos de poder

Publicado em 29/03/2014 às 10:00
Leitura:
Pré-candidato a governador, Armando Monteiro defendeu a gestão de Dilma Rousseff dos ataques que o governador Eduardo Campos fez no programa do PSB nos campos administrativo e político. Ao Super Manhã de Geraldo Freire, o senador disse que os problemas enfrentados na área econômica são frutos de um contexto maior, que joga o Brasil, por exemplo, no complexo mercado de commodities. Monteiro, porém, precisa traduzir o discurso para o povo entender os seus argumentos e tirar as suas conclusões. O trabalhador quer saber como os preços dos produtos estão mais caros nos supermercados e ele continua ganhando o mesmo salário. Por isso, não basta falar de pleno emprego. As recentes pesquisas de opinião indicam que a queda da popularidade de Dilma passa por aí. No campo político, Monteiro fez um discurso mais popular e trouxe o tema, nacionalizado por Eduardo, para a disputa local. Expôs que, no nacional, Eduardo defende mudanças, mas aqui, em PE, prega a continuidade, como se o Estado fosse um paraíso e como se ele, Monteiro, fosse promover a paralisação das atuais ações para implantar uma nova marca. Em 2006, este era o discurso da aliança que defendeu a reeleição de Mendonça Filho, mas Eduardo ganhou no 2º turno com o PTB e o PT. Hoje, o que está em jogo é um projeto de poder que coloca PE em um lugar estratégico no cenário nacional. Mas o povo decidirá quem ganha. E pelo voto.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias