Governo de continuidade

Publicado em 06/01/2015 às 8:19
Leitura:
Em cinco dias de mandato, o governador Paulo Câmara assinou ordens de serviços para dar andamento a obras de estradas no Sertão e recuperar e construir escolas na Mata Sul. O novo chefe do Executivo mostrou que veio disposto a colocar a máquina para moer, como costumava dizer o padrinho político, o ex-governador Eduardo Campos. Essas ações, porém, não foram esboçadas no atual governo, que está só no início. Representam a herança deixada pelos oito anos dos mandatos de Eduardo e João Lyra. As escolas foram delineadas pelo programa de reconstrução daquela região, castigada pelas enchentes de 2010. Os cronogramas iniciais atrasaram e agora saem do papel. O mesmo pode se dizer das estradas do Sertão, que estavam paradas. Por decisão política, João Lyra priorizou algumas ações. O caixa do Estado estava apertado e o foco era cumprir os prazos da Lei de Responsabilidade Fiscal. Lyra, no entanto, deixou os processos de licitação concluídos para Paulo Câmara poder dar carga às medidas logo no primeiro trimestre deste ano inaugural da gestão. Tudo foi acertado entre as equipes dos dois gestores no período de transição. João Lyra também deixou um cardápio de quase 100 obras para o novo governador entregar à população até março. A gestão de Paulo começa com a cara da continuidade.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias