Lava Jato trava modernização do Porto do Recife

Publicado em 10/04/2015 às 12:18
Leitura:
Porto do Recife - Bobby DRAGAGEM Recursos federais seriam utilizados em pacote de obras que chegaria a R$ 160 milhões. Foto: Bobby Fabisak/ JC Imagem     Desde 2013, após o racha do PT e PSB, o Porto do Recife espera R$ 160 milhões da Secretaria Especial dos Portos (SEP), federal. Os recursos seriam para um pacote de modernização, sendo a principal obra uma nova dragagem, além da instalação de defensas e melhorias nos cais 7, 8 e 9/10. A licitação ocorreu lá atrás, vencida pela Galvão Engenharia. Veio 2014, chegou 2015 e não bastasse a crise do governo Dilma, a Galvão foi atingida pelo escândalo da Lava Jato e há uma semana pediu recuperação judicial. A Galvão Engenharia também atua na construção do acesso à Ilha de Tatuoca, no Porto de Suape, onde as obras estão em fase final. No caso do Porto do Recife a situação é a clássica "depois da queda o coice": não só o dinheiro não veio, como agora a licitação não vale de nada. Em tese, o governo poderia convocar a segunda colocada para assumir as obras. O problema é que sequer os recursos foram liberados pela Secretaria Especial dos Portos. A Operação Lava Jato já havia atingido outra prestadora de serviços em Pernambuco, a Mendes Junior. A empreiteira era a responsável pela requalificação da BR-101, mas conforme revelado na Pinga-Fogo, avisou ao Estado que não poderia mais continuar com a obra. A Mendes Junior também é a responsável pela implantação do Corredor Leste-Oeste, que prometeu concluir.   Leia mais: AFETADA PELA LAVA JATO, MENDES JUNIOR DESISTE DE OBRA EM PERNAMBUCO DEPOIS DA LAVA JATO, TRANSPOSIÇÃO DEPENDE DE BANCO CONSÓRCIO LAVA JATO-PETROLÃO

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias