Luciano Siqueira diz que candidatura de Antonio Campos em Olinda é legítima, mas pede postura mais civilizada do PSB na cidade

Maria Luiza Borges
Maria Luiza Borges
Publicado em 30/04/2016 às 14:13
Luciano Siqueira (PCdoB) é vice-prefeito do Recife. Foto: Divulgação
Luciano Siqueira (PCdoB) é vice-prefeito do Recife. Foto: Divulgação - Luciano Siqueira (PCdoB) é vice-prefeito do Recife. Foto: Divulgação
Leitura:
[caption id="attachment_15596" align="alignnone" width="748"]"Luciano Luciano Siqueira (PCdoB) é vice-prefeito do Recife. Foto: Divulgação[/caption]No último dia 23 de abril, publiquei uma entrevista na qual o vice-prefeito do Recife, Luciano Siqueira (PCdoB), contestava o impeachment da presidente Dilma Rousseff, mas afirmava que o prefeito Geraldo Julio (PSB) não era golpista apesar do seu partido ser favorável ao afastamento da petista.A conversa com Luciano teve em torno de 17 minutos e muitas outras declarações foram dadas. Na entrevista, o vice-prefeito falou sobre a relação entre o PSB e o PCdoB em Olinda e disse que era legítima a postulação dos socialistas à prefeitura da cidade. O que o comunista não aprova é a forma como o advogado Antônio Campos, pré-candidato do PSB, refere-se à gestão de Renildo Calheiros (PCdoB).>> Vice-prefeito do Recife é contra impeachment, mas defende aliado do PSB: Não é golpista"Convivemos na eleição como concorrentes e não como inimigos. A cena local tem particularidades e uma dinãmica muito própria. Em Olinda, Luciana (a deputada federal e presidente nacional do PCdoB Luciana Santos) e Renildo têm dado uma demonstração de tolerância, de paciência e de convivência com os contrários. O doutor Antonio Campos elegeu o PcdoB como alvo e obviamente não concordamos com isso, mas é um assunto do PSB. A candidatura de Antonio Camos é legítima. O que nos incomoda é o fato dessa candidatura eleger o PCdoB como alvo", falou.Diante das declarações de Luciano, questionei se não era natural que o PCdoB em Olinda virasse alvo, afinal o partido é governo e é o "adversário a ser batido". Eis a resposta do vice-prefeito."Existem muitas formas de disputar com quem está no governo. Se ele (Antonio Campos) é aliado não me parece adequado eleger um partido aliado como inimigo. Esperamos que em algum momento o PSB debata internamente e encontre um caminho mais civilizado".Conversei com um inegrante do PSB após a entrevista de Luciano. Em reserva ele disse que não há como impedir a candidatura de Antonio Campos em Olinda. A justificativa: conta a militância do advogado pelo partido, sempre presente nas campanhas realizadas até agora, e o fato dele ser irmão de Eduardo Campos. "Quem diria para ele não ser candidato?".PCdoB x PTO vice-prefeito também falou da relação do PCdoB com o PT. Os comunistas têm sido aliados de primeira hora da presidente Dilma, mas no Estado os caminhos não estão se cruzando. No Recife, o PCdoB será adversário dos petistas se prevalecer a presença de Luciano na chapa de Geraldo e houver a candidatura de João Paulo (PT).Em Olinda, a deputada estadual Teresa Leitão (PT) já externou o desejo de ficar com o posto de Renildo Calheiros."Embora tenhamos disputado a eleição passada contra o PT, nunca houve um afastamento, digamos assim. As relações são ótimas. Não tem nenhuma dificuldade. Eu mesmo diálogo com o ex-prefeito João Paulo com muita frequência. Outro dia mesmo eu tive uma conversa com o ex-prefeito João da Costa. Me dou bem com com o Oscar (Oscar Barreto preside o PT no Recife) e o Bruno (Bruno Ribeiro é presidente do PT-PE). Não se trata de se aproximar ou se afastar. As circustãncias, particularmente a crise do PT há alguns anos, é que criaram uma situação tal que os partidos que apoiaram uma candidatura do PT terminaram não apoiando o candidato deles".

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias