PSB semeou políticos, colhe oponentes para 2018

Publicado em 29/08/2017 às 7:23
Evento da nova oposição em Caruaru. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
FOTO: Evento da nova oposição em Caruaru. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:
Evento da nova oposição em Caruaru. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem   Um dos quatro ministros de Pernambuco assim define esse novo eixo político estadual que começa a se delinear: “O PSB colhe o que plantou”. A declaração, em reserva, se ajusta ao evento de ontem em Caruaru – e que, antecipou a coluna na sexta, reuniu pela primeira vez a oposição e os independentes de Pernambuco. Hegemônico, o PSB foi uma incubadora local de nomes, como o do governador Paulo Câmara e do prefeito Geraldo Julio. Mas uma hora não dá para caber todo mundo. Em 2014, o então governador João Lyra, que trocou o PDT pelo PSB, sonhando em ser ungido por Eduardo Campos, teve de se contentar com um mandato tampão – um governo sob críticas da própria sigla, à época. Mas foi só quando a então deputada Raquel Lyra, a filha, teve sua candidatura rifada pelo PSB que a família saiu do partido. Já no PSDB, a vitória dela na eleição 2016, em Caruaru, virou uma volta por cima dos Lyras. No palanque da cidade, ontem, muita gente tinha história de alianças e mágoas com o PSB para contar. Mas o símbolo da semeadura da legenda é a família Coelho, que ainda está formalmente no PSB. Depois de faltar ao congresso da sigla, a família estava em Caruaru, falando em mudanças e pregando alinhamento das novas forças. É a eclosão que vem do PSB.   UM GESTO PARA OS EX-GOVERNADORES No seu discurso, o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB, foto) fez questão de saudar, entre outros, o ex-governador Joaquim Francisco, outro ex-quadro do PSB, e “o meu amigo, o ex-governador João Lyra Neto”.   OS 50 PREFEITOS Algo ressaltado por todos os políticos a discusar em Caruaru ontem foi que havia 50 prefeitos no evento do Ministério das Cidades. A percepção dos ministros e dos dois senadores é que, em 2018, o número cresce.   FALTAS TUCANAS Apesar de ser um evento do ministro tucano Bruno Araújo, foram notadas as ausências dos deputados federais Betinho Gomes e Daniel Coelho, ambos de seu partido. Há certo “climão” no PSDB estadual.   PAULO E A EDUCAÇÃO COM PRINCIPAL BANDEIRA Enquanto ocorria em Caruaru o ato do bloco de oposição, no Recife o governador fazia um ato em celebração a Idepe, o índice da educação de Pernambuco. Em 2018, a educação promete ser a principal bandeira de Paulo Câmara (PSB) nas eleições estaduais. Auxiliares dizem que Paulo mantém na reserva, entre os quadros técnicos que podem virar políticos, o secretário de Educação, Fred Amâncio. O nome de Amâncio já foi listado antes, sempre ao lado do secretário de Planejamento e Gestão, Márcio Stefanni.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias