Não vai

Aliança pelo Brasil não conseguirá participar da eleição

Partido de Bolsonaro só conseguiu, até agora, validar 1% das assinaturas necessárias no TSE. Quase 14 mil assinaturas foram rejeitadas pelo Tribunal. Prazo é até o início de abril.

Igor Maciel
Igor Maciel
Publicado em 03/03/2020 às 17:51
Artigo
FOTO: EVARISTO SA/AFP
Talvez a estratégia seja mesmo essa... - FOTO: FOTO: EVARISTO SA/AFP
Leitura:

Bolsonaro não conseguirá ter um partido para que seu grupo dispute eleições municipais. A impossibilidade já é admitida até por bolsonaristas mais empolgados. Apesar de ter conseguido recolher o número mínimo de assinaturas, é preciso validar essas assinaturas no sistema do Tribunal Superior Eleitoral.

Das 492 mil necessárias, o Aliança conseguiu validar, segundo dirigentes do futuro partido, pouco mais de 1%, algo em torno de cinco mil. Ao mesmo tempo, quase 14 mil assinaturas cadastradas foram rejeitadas pelo Tribunal. Nesse ritmo, dificilmente o prazo que vai até o início de abril poderá ser cumprido.

Em vários Estados, os bolsonaristas já abriram negociação com outras siglas para disputarem prefeituras ou vagas de vereador. Há quem acredite que o próprio Bolsonaro não está torcendo muito para que o partido saia do papel por enquanto. Teme que dois anos de má administração de qualquer filiado eleito em 2020 possa atrapalhar seus planos em 2022.

Se o partido não for aprovado agora, será uma novidade na eleição presidencial e quem tiver tido problemas em outros partidos "pode ficar por lá mesmo". O problema é que além de faltar dinheiro, como já falta, vai faltar o colchão eleitoral também. Vão continuar apostando nas redes sociais.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias