Coluna Cena Política

Bill Gates avisou sobre o coronavírus em 2015. Bastava olhar para a África, mas ninguém nunca olha para a África

Criador da Microsoft falou há cinco anos, após observar a evolução do Ebola no continente africano, que um vírus com as características do novo coronavírus, que não existia na época, causaria uma tragédia.

Igor Maciel
Igor Maciel
Publicado em 24/03/2020 às 6:20
AFP
Quem não se importa mata mais que o vírus - FOTO: AFP
Leitura:

Bill Gates fez uma palestra em 2015. Uma fala que durou oito minutos. Nela, o criador da Microsoft alertava para o perigo de uma epidemia. Praticamente previu o coronavírus, sem precisar de mágica, apenas observação e atenção aos números.

Ele analisou o Ebola na África e concluiu que lá morreram “só” dez mil, porque o Ebola não é transmitido pelo ar e assim que as pessoas são contaminadas ficam logo acamadas e isoladas, não transmitindo para outras pessoas com facilidade.

Congresso articula 'Orçamento de guerra' contra coronavírus

Gates argumentou e avisou: “de uma próxima vez, talvez não tenhamos tanta sorte. Pode haver um vírus que deixe o paciente bem no estágio contagioso, ao ponto de ele andar de avião antes de ficar acamado. Seria uma tragédia”, explicou. Faz cinco anos.

 

O próprio Gates fez o levantamento baseado nos estudos do Ebola, que matou cerca de 10 mil pessoas na África.

Em oito minutos, o cientista com cara de nerd disse que era preciso olhar para a África, que uma epidemia ia acontecer e seria um desastre. Disse também que a única forma de combater isso seria com união de esforços, seriedade e comprometimento.

Drive-thru, vacina em casa e mais; Por causa do coronavírus, veja como funciona vacinação contra a gripe nos municípios do Grande Recife

As primeiras orientações não dá mais pra cumprir. Estaremos dispostos a seguir as últimas, deixar politica e ideologia de lado, para fazer a coisa certa agora?

 

.

LEIA TODOS OS TEXTOS DA COLUNA CENA POLÍTICA

Comentários

Últimas notícias