Política e pandemia

Prefeita reclama que governo de Pernambuco trata Caruaru diferente na pandemia por questões políticas

Misturar política com a necessidade de salvar vidas nesse momento crítico da pandemia é algo que precisa ser evitado. Mas, vale lembrar, Bezerros também está no decreto que intensificou a quarentena, e o prefeito é do PSB.

Igor Maciel
Igor Maciel
Publicado em 25/06/2020 às 21:56
Análise
Foto: Ashlley Melo / Acervo JC Imagem
A prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB). - FOTO: Foto: Ashlley Melo / Acervo JC Imagem
Leitura:

A prefeita Raquel Lyra (PSDB), de Caruaru, no Agreste, gravou vídeo no fim da tarde desta quinta-feira (25) para reclamar de tratamento diferente com a cidade durante a pandemia e insinuou que isso está acontecendo por ela ser de oposição. Pelo tom, a acusação é de que o governo de Pernambuco estaria usando critério político para definir quem pode e quem não pode retornar às atividades.

A gravação foi feita pouco depois que o secretário de Saúde, André Longo, visitou um hospital de campanha montado na cidade. A prefeita diz que ficou sabendo da visita através da imprensa e não foi avisada para acompanhar, já que está realizando ações de combate à pandemia desde o início. Se for verdade, que o Estado prejudica Caruaru de propósito, é algo muito sério.

Em resposta ao JC, a Secretaria de Saúde do Estado informou que "a visita teve o objetivo de conferir o funcionamento do atendimento em uma unidade pública estadual, discutindo fluxos e abertuta de novos leitos, e o secretário não teve nenhuma outra agenda na cidade."

Agora, considerando que os números apresentados pela secretaria de Saúde estão corretos e, segundo eles, Caruaru tornou-se um problema no Estado, a atitude do governo se justifica completamente.

As imagens da Feira da Sulanca funcionando sem controle no último fim de semana preocupam. O tipo de aglomeração que estava acontecendo sem que a prefeitura impedisse, além do comércio funcionando, com as portas abertas até a metade para receberem os clientes e driblar a fiscalização, mostram que a situação fugiu do controle.

Vale lembrar que o decreto válido para Caruaru também vale para Bezerros e no vizinho de Caruaru a prefeitura é comandada por um socialista, que não está reclamando. Pelo contrário, Breno Borba (PSB) comemorou e acredita que serão 10 dias de fechamento total para poder reabrir de vez em seguida.

Misturar política com a necessidade de salvar vidas nesse momento crítico da pandemia é algo que precisa ser evitado.

O recado vale para os dois lados. Se quiserem mostrar que estão juntos no combate ao coronavírus é preciso que demonstrem isso e rápido.

Quando um secretário de Saúde, no meio de uma pandemia, faz visita a um hospital de campanha numa cidade e não convida a prefeitura local, isso soa como provocação.

E se a prefeita acredita que a medida tomada não é necessária, deve mostrar números para comprovar isso.

O resto é retórica. E retórica não combate vírus.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias