Rigidez

Em resposta à prefeita Raquel Lyra, governo de Pernambuco diz que teve reuniões para discutir situação de Caruaru

Governo diz que Raquel Lyra (PSDB) participou de reuniões e foi avisada que medidas mais duras precisavam ser tomadas.

Igor Maciel
Igor Maciel
Publicado em 29/06/2020 às 14:18
Análise
JANAÍNA PEPEU/CORTESIA
Vista do Monte Bom Jesus, em Caruaru, Agreste de Pernambuco - FOTO: JANAÍNA PEPEU/CORTESIA
Leitura:

Em nota, governo do Estado rebateu a reclamação sobre falta de diálogo da prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB). A gestora disse ter sido pega de surpresa com as medidas mais duras implantadas pelo governo na cidade. A acusação, feita em vídeo, aconteceu no dia em que a fiscalização foi intensificada após decreto de Paulo Câmara (PSB).

Na nota, o governo afirma que houve diálogo sim: "No período de uma semana, a prefeita Raquel Lyra participou de uma reunião com o governador Paulo Câmara e outras duas com os secretários da Casa Civil, Saúde e Planejamento onde foram apresentados todos os dados que mostram a aceleração da epidemia em seu município e a necessidade de uma maior fiscalização para redução do contágio”, diz o texto.

Em Caruaru, o acirramento político em meio a um assunto tão delicado elevou as críticas tanto contra o governador quanto contra a prefeita. O primeiro é atacado por ter imposto medidas mais duras e estar impedindo a volta do comércio na cidade. A segunda, por ter permitido que isso acontecesse.

E a promessa é de mais polêmica pela frente. Porque o governo já estuda a possibilidade de implantar as mesmas medidas em Petrolina, que também estaria com números fugindo ao controle. Petrolina também é governada por um prefeito de oposição.

O erro de toda essa discussão está no foco dela que deveria ser em saúde e não em lado político.

Quando o vírus avança e a discussão é sobre posicionamento partidário, não tem como nada dar certo.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias