Dados da covid-19

Informação precisa é a chave para evoluirmos ou sermos extintos

Quando o Ministério da Saúde tenta modificar a metodologia para tentar passar a impressão de que o problema não é tão grande assim, compromete algo que é caro à humanidade: a possibilidade de reagir às adversidades e evoluir.

Igor Maciel
Igor Maciel
Publicado em 09/06/2020 às 9:33
Valter Campanato/Agência Brasil
Ex-ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello - FOTO: Valter Campanato/Agência Brasil
Leitura:

Na evolução humana, saindo da caverna para os edifícios de 50 andares, a informação precisa foi sempre essencial. Saber que os leões temiam o fogo ou que determinada planta, quando ingerida, poderia matar, foi tão importante quanto é, hoje, entender que o coronavírus é transmitido por um espirro e que usar máscara diminui seu contágio.

Saber quantas pessoas morreram por causa da doença ajuda a dar dimensão ao problema e agir de acordo com o risco.

A desinformação é diferente da falta de informação. Por mais que pareçam significar o mesmo, estão em campos diferentes. Desinformação é mentira disfarçada de verdade. Falta de informação é vácuo absoluto. Mas, quando a sociedade é submetida à convivência com ambas, alternadamente, tende a aceitar qualquer tipo de narrativa, por mais absurda que pareça.

É por isso que a confusão com os números de casos e mortes por covid-19 deveria ser considerada um crime de responsabilidade. Já é muito grave que testes não sejam feitos para se ter uma ideia real dos números e, quando o Ministério da Saúde tenta modificar a metodologia para tentar passar a impressão de que o problema não é tão grande assim, compromete algo que é caro à humanidade: a possibilidade de reagir às adversidades e evoluir.

Quando o presidente da República dizia que tudo não passava de um “gripezinha” tratava-se de desinformação e negacionismo, mas os números estavam lá para que cada um fizesse o seu juízo. Quando se perde a credibilidade nos números, as consequências podem ser imprevisíveis.

Comentários

Últimas notícias