Bate chapa?

Isabella de Roldão decidiu lançar a candidatura depois de entender que Túlio atropelou processo no PDT

A ex-secretária foi quem ligou para o presidente estadual, Wolney Queiroz (PDT), reclamou de ação antidemocrática de Túlio, que não dialogou com o restante da executiva municipal sobre a candidatura, e disse que pretendia disputar também.

Igor Maciel
Igor Maciel
Publicado em 30/07/2020 às 20:38
Análise

Foto: Câmara dos Vereadores
Isabella de Roldão (PDT) lançou pré-candidatura - FOTO: Foto: Câmara dos Vereadores
Leitura:

O deputado Wolney Queiroz, que preside o PDT no Estado, ainda estava lidando com o anúncio feito por Túlio Gadêlha, que resolveu ser candidato à prefeitura do Recife sem consultar a executiva estadual, quando recebeu a ligação de Isabella de Roldão informando que também seria candidata.

A justificativa dela foi exatamente a forma como Túlio conduziu o processo no município. Ele é presidente da executiva no Recife e não teria feito nenhuma reunião com os membros, apenas com filiados que pretendem ser candidatos a vereador.

O marido de Isabella, Fábio Fiorenzano, por exemplo, é membro da executiva municipal e ficou sabendo da candidatura de Túlio pela imprensa.

Isabella, que foi vereadora, candidata a vice-governadora e também secretária municipal, representando o partido, reclamou de não ter sido ouvida e pelo assunto não ter sido discutido na executiva.

A intenção de ser candidata à prefeitura, segundo quem conversou com ela, é legítima. Só foi anunciada agora porque Túlio teria atropelado o processo.

A questão é se ambos vão levar as pré-candidaturas ao limite das convenções e provocar um racha no partido.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias