Pau da barraca

Paulo Guedes é o "pau da barraca". Se cair afunda a lona e adeus reeleição

O centrão, que Bolsonaro vem cortejando, evita e provoca impeachments, mas não costuma eleger presidentes na urna eleitoral. Perder apoio do mercado, nesse momento, pode ser o fim da linha para o presidente

Igor Maciel
Igor Maciel
Publicado em 13/08/2020 às 10:11
Análise
CAROLINA ANTUNES / AFP
PRIVACIDADE Dados de Alcolumbre, Bolsonaro, Maia e de milhares de outros brasileiros foram expostos - FOTO: CAROLINA ANTUNES / AFP
Leitura:

Guedes é o "pau da barraca". A expressão foi usada pelo presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, que já pediu demissão. Bolsonaro sabe da importância de Guedes e Guedes sabe que, se sair do governo, afunda o projeto de reeleição.

O presidente Jair Bolsonaro foi eleito sob uma conjunção de fatores. Teve a facada, teve a exposição na TV, no hospital, teve as redes sociais e teve o apoio do empresariado que não aguentava mais o PT.

Mas, o mercado financeiro, onde as pessoas não ganham dinheiro sendo ingênuas, sabia que Bolsonaro nunca foi liberal. Está mais próximo de um sindicalista da direita, como o colega Romoaldo de Souza pontuou, recentemente, na Rádio Jornal.

O fiador liberal de Bolsonaro é o ministro da economia Paulo Guedes.

Agora, pensando em reeleição, rezando para que nenhum novo atentado aconteça, observando que as redes sociais bolsonaristas minguaram, furar o teto de gastos e prejudicar a economia do Brasil tentando ser populista com o dinheiro do contribuinte, como Lula (PT) fazia, vai afastar o mercado, os empresários e grande parte da classe média enterrando a reeleição.

O centrão evita e provoca impeachments, é verdade. Mas não consegue eleger presidentes.

Comentários

Últimas notícias