Eleições 2020

Pesquisas apontam Delegada Patrícia quase fora de combate. Rejeição seguiu aumentando

Expectativa é sobre votos que podem migrar da candidata do Podemos para Mendonça Filho, levando ele ao segundo turno.

Igor Maciel
Igor Maciel
Publicado em 14/11/2020 às 19:48
Análise

REPRODUÇÃO/FACEBOOK
Ao lado de Jair Bolsonaro, Delegada Patrícia participou de live anunciando apoio no início da semana... e caiu. - FOTO: REPRODUÇÃO/FACEBOOK
Leitura:

Ibope e Datafolha, nas pesquisas de ontem, "concordam" plenamente que foi um erro da Delegada Patrícia (Podemos) abraçar-se com Bolsonaro na reta final da campanha.

Na pesquisa Ibope/JC/Rede Globo, a rejeição dela foi de 40% para 42%, após já ter subido de 35% para 40% após o anúncio de que o presidente Jair Bolsonaro estava apoiando a candidata.

No Datafolha foi ainda pior. Depois que Bolsonaro anunciou o apoio e gravou vídeo com a Delegada, ela já havia subido em rejeição de 35% para 40%. No levantamento de ontem, piorou, foi de 40% para 46%.

Patrícia viu sua rejeição aumentar muito depois que postagens em que chamava a cidade de "Recífilis" foram divulgadas. Mas, essa avaliação negativa, de pessoas dizendo que não votam nela de jeito nenhum, consolidou-se após o anúncio do presidente.

Era esperado e, se a eleição demorasse um pouco mais, ainda poderia piorar. No Recife, mais de 60% dizem que não votariam em candidato apoiado pelo presidente.

Esse crescimento da rejeição dela faz crescer a expectativa sobre a votação de Mendonça Filho (DEM) também. Por estarem no mesmo campo político e ela não tendo mais chance de ir ao segundo turno, os votos dela podem migrar em massa, neste domingo, para o ex-ministro.

Seja um assinante JC.

Assine o JC com planos a partir de R$ 1,90 e tenha acesso ilimitado a todo o conteúdo do jc.com.br, à edição digital do JC Impresso e ao JC Clube, nosso clube de vantagens e descontos que conta com dezenas de parceiros.

Assine o JC

Comentários

Últimas notícias