Cena Política

Marília Arraes pode estar tentando ser expulsa do PT, para poder dialogar com a oposição por 2022

Se sair do PT apenas em março do ano que vem, na janela partidária, para algum partido de oposição ao PSB, Marília vai chegar atrasada na festa da qual gostaria de ser anfitriã. E se complica. Até lá, a oposição já terá um candidato e não será ela.

Igor Maciel
Igor Maciel
Publicado em 07/04/2021 às 17:40
Análise
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Marília Arraes, durante campanha pela prefeitura do Recife - FOTO: FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

A deputada federal Marília Arraes (PT) tem tomado atitudes que evidenciam uma possível guinada ao centro, buscando um espaço em algum outro partido.

Ao menos, é a desconfiança de alguns colegas de política da parlamentar.

Até conseguir a candidatura à prefeitura do Recife, Marília seguia os protocolos petistas e teve em Gleisi Hoffmann (PT), presidente nacional do partido, sua maior aliada contra Humberto Costa (PT), por exemplo.

Mas, a derrota na eleição teve um fator decisivo: o antipetismo.

Quando ameaçou o PSB, os socialistas usaram a corrupção nos governos nacionais petistas para atacar a candidata. No segundo turno, João Campos (PSB) apelou para conseguir até o voto dos bolsonaristas e venceu.

O PT que foi solução no 1º turno, virou problema no 2º turno para a neta de Miguel Arraes.

Tudo indica que o PT vai apoiar o PSB em 2022 para o governo de PE. Para ser candidata, como deseja desde 2018, Marília teria que enfrentar uma nova luta, imensa, com o risco crescente de ser colocada de lado novamente pelo PT.

A eleição da Mesa Diretora na Câmara, quando concorreu contra a indicação do partido, foi sintomática. Agora, a abstenção sobre o projeto de compra de vacinas por empresas privadas, também.

"Ela está querendo ser expulsa", diz um deputado pernambucano à coluna.

É possível.

Alguém pode questionar o motivo de provocar uma expulsão no PT, quando uma janela vai se abrir em breve, sem risco de perder o mandato.

É que a janela não está tão próxima assim, deve abrir só em março de 2022. E a oposição já começou a se movimentar para escolher um candidato e uma estratégia que derrote o PSB.

Se sair do PT apenas em março do ano que vem, Marília chega atrasada na festa da qual gostaria de ser anfitriã. E se complica.

Se pedir pra sair agora, pode ficar sem mandato, caso o PT resolva pedir a cadeira dela.

Se for expulsa, fica no mandato e pode escolher uma nova sigla.

Comentários

Últimas da Coluna

Últimas notícias