Cena Política

O grande problema para Luciano Bivar que todo mundo gostaria de ter alguma vez na vida

O PSL tem dinheiro demais para gastar na eleição e não está fácil descobrir como fazer isso. Em Pernambuco, pode acontecer uma grande migração nomes entre partidos buscando esses recursos.

Igor Maciel
Igor Maciel
Publicado em 12/08/2021 às 14:00
BOBBY FABISAK / JC IMAGEM
PRESIDENTE Luciano Bivar vai comandar máquina que receberá cerca de R$ 1 bilhão em fundos públicos - FOTO: BOBBY FABISAK / JC IMAGEM
Leitura:

Com o aumento do Fundo Eleitoral, que Bolsonaro primeiro disse que ia vetar, depois disse que ia diminuir e ainda nada resolveu, alguns partidos acabaram com um "problema".

Mas, é daqueles que todo mundo gostaria de ter uma vez na vida: dinheiro demais para gastar.

O PSL, por exemplo, que surfou na onda de Bolsonaro em 2018 e ficou com a maior bancada eleita na Câmara, viu parlamentares saírem ao longo do tempo junto com o presidente e outros devem mudar de partido assim que a janela se reabrir para essas mudanças.

Mas, o cálculo que vale para receber o dinheiro é o de 2018. Vai ter muita verba e pouca gente para receber.

Para a eleição, o presidente do PSL, o deputado pernambucano Luciano Bivar, vai ter acesso a R$ 567 milhões para fazer campanha em todo o Brasil.

Boa parte disso deve ir para José Luiz Datena (PSL) se ele, realmente, for candidato a presidente.

Mas, com os limites de gastos que estarão definidos, o dinheiro terá que ser distribuído pelos estados ou volta para os cofres públicos.

A missão de Bivar, então, é encontrar candidatos que já tenham um bom volume de votos e só precisem de dinheiro, para tornar a vida de todos mais fácil.

Essa equação não é fácil. O objetivo dele é chegar ao menos perto de manter a bancada do PSL na Câmara que, hoje, é a maior, empatado com o PT.

Nos bastidores da política em Pernambuco já existe uma expectativa para muita mudança de siglas. Candidatos que têm sua base de votos e não conseguem muito espaço em seus partidos, abriram diálogo com Bivar.

A dança das cadeiras deve ser agitada.

Comentários

Últimas notícias