Cena Política

Bolsonaro, Lula e influenciadores digitais têm interesse na tensão sobre o 7 de setembro. O caos é bom para eles

Manifestações serão cortina de fumaça para uns, incremento no caos para quem quer ser remédio e audiência nas redes para gerar seguidores e dinheiro. Há quem precise do caos, cada um ao seu modo.

Igor Maciel
Igor Maciel
Publicado em 05/09/2021 às 7:00
Análise
ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Presidente do Brasil Jair Bolsonaro saindo da Base Aérea do Recife. - FOTO: ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem feito de tudo para inflamar o debate sobre as manifestações do 7 de setembro.

Usa isso, como fez em viagem pelo Nordeste, para dizer que "será um recado para o STF".

Influenciadores digitais entraram na onda e estão ajudando no discurso, alguns com "medo" e outros com incentivo, porque a maluquice bolsonarista dá audiência nas redes.

A oposição também está lucrando politicamente. A verdade é que, para quem se apresenta como salvador, quanto maior o caos, mais importante ele se torna.

Lula (PT), "vai salvar você de Bolsonaro". E Ciro (PDT), "vai salvar você de Lula e de Bolsonaro".

Eles não teriam importância se tudo estivesse calmo em terras brasileiras. Esse clima caótico e similar ao de uma "tensão irreversível" é lucrativo para quem quer ser remédio.

Bolsonaro também não está sendo o "divulgador do apocalipse" porque acha bonito e confortável. A verdade é que o governo dele já "subiu no telhado" e é preciso ter uma cortina de fumaça eficiente para não admitir que a gestão faliu.

Mais que isso, Bolsonaro está pressionado por investigações e ameaças de prisão até contra seus filhos, denúncias de corrupção preocupam e figuras caricatas como o advogado Frederico Wassef e Fabrício Queiroz são como "zumbidos de abelha" preocupantes, daqueles chatos, que não param.

Se não pode interromper o zumbido no ar, o presidente resolveu gritar pra chamar mais atenção que o barulho.

Comentários

Últimas notícias