OPINIÃO

Pesquisa aponta que 56% dos brasileiros não consideram a Polícia Militar violenta

Segundo 38,1% dos entrevistados a PM é violenta e 6% não sabe/não opinou. A PM só é considerada mais violenta que não-violenta entre os jovens

Cláudio Humberto
Cláudio Humberto
Publicado em 27/06/2020 às 7:27
Notícia
ARQUIVO/JC IMAGEM
A relação com a PM é inversa à escolaridade: para 55,1% de quem estudou ensino médio, a PM não é violenta - FOTO: ARQUIVO/JC IMAGEM
Leitura:

Pesquisa: 56% não consideram a PM violenta

Levantamento exclusivo Paraná Pesquisas/Diário do Poder mostra que a percepção da população brasileira sobre o trabalho das polícias militares em todo o Brasil não é a tragédia que o noticiário habitual deixa entender: para 55,9% dos entrevistados, a Polícia Militar não é violenta. Segundo 38,1% a PM é violenta e 6% não sabe/não opinou. A PM só é considerada mais violenta que não-violenta entre os jovens.

A maior percepção positiva da PM está entre os entrevistados com educação até o ensino fundamental: para 62% a PM não é violenta. A relação com a PM é inversa à escolaridade: para 55,1% de quem estudou ensino médio, a PM não é violenta. Com ensino superior, 48%. Apenas para jovens de 16 a 24 anos, a PM é mais violenta (52,7%) que não-violenta (41,9%). Jovens representam 14,8% dos entrevistados.

O Paraná Pesquisas entrevistou 2.258 pessoas de 194 municípios nos 26 Estados e no DF, entre 23 e 26 de junho. A margem de erro é 2%.

Promotor critica ‘zona de segurança’

O procurador Marcelo Rocha Monteiro criticou duramente, nesta sexta (26), a liminar do ministro Edson Fachin (foto), do Supremo Tribunal Federal (STF), proibindo a polícia de agir contra os traficantes nas favelas do Rio de Janeiro, durante a pandemia. Para ele, a liminar criou uma “zona de segurança” para atuação dos bandidos. “Enquanto os traficantes agem livremente, um jornalista foi preso em razão das posições políticas que defende”, disse ele, referindo-se a Oswaldo Eustáquio, mais um ‘ativista bolsonarista’ que o ministro Alexandre de Moraes mandou prender.

Marcelo Rocha Monteiro desconfia das intenções dos autores da ação, o PSB e ONGs. “Duas delas são velhas conhecidas minhas”, ironizou. Ele citou as ONGs Conecta e Justiça Global, que há anos se dedicam à curiosa campanha de “desencarceramento” principalmente de traficantes.

A polícia está proibida de subir o morro, por exemplo, para fazer perícia do caso Cauã, um menino de 11 anos morto por traficantes.

Barbas de molho

Recentes movimentos da Polícia Federal no Amapá têm preocupado a turma do presidente do Senado, Davi Alcolumbre. Sua aliada, Maria Orlanda, prefeita de Oiapoque, foi afastada por suspeita de corrupção.

Metas

O novo ministro da Educação, Carlos Decotelli, disse que ao final da “entrevista desemprego”, perguntou a Bolsonaro qual a orientação. O presidente respondeu: “Gestão, integração e diálogo, talquei?”

Cem leilões

Bolsonaro quer fazer este ano 100 leilões de bens apreendidos de traficantes, dez vezes mais que em 2019, segundo revelou nesta sexta o ministro André Mendonça (Justiça). Até Ferraris vão a leilão, disse ele.

Queda de braço

Levando pancada todo dia do deputado Hildo Rocha (MDB-MA), o governador do Maranhão, Flávio Dino, já percebeu que o MDB estadual tem outros planos e trabalha forte no interior para conquistar prefeituras.

Frase

"Onde não há Estado, há crime organizado”, Ministro André Mendonça (Justiça) contra proibição de a polícia agir nas favelas do Rio

Esqueceram

O governo esqueceu Robson Santos da Silva como secretário Especial de Saúde Indígena. Indicado por Luiz Henrique Mandetta, ele acumula diversos tropeções no cargo em desfavor da comunidade indígena.

Perda de tempo

Virou objeto de deliberação do Conselho Nacional do Ministério Público a participação de membros do MP de Sergipe em grupos de WhatsApp. O que devia facilitar o trabalho na pandemia, virou motivo de “mimimi”.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias