OPINIÃO

No Recife, Marília empolgou militância ao dizer não saber se mãe de João Campos governaria em caso de vitória

Leia a opinião de Cláudio Humberto

JC
JC
Publicado em 20/11/2020 às 11:28
Notícia

FOTOS: YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
MARÍLIA ARRAES Campanha ao lado da população - FOTO: FOTOS: YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

Sua mãe?

No Recife, em debate no programa de Geraldo Freire, da Rádio Jornal, a candidata Marília Arraes (PT), líder as pesquisas, empolgou a militância ao afirmar que, no caso de eleição do adversário João Campos, ninguém sabe quem governaria, se sua mãe, o atual prefeito ou o governador.

Bolsonaro inspeciona blecaute

O presidente Jair Bolsonaro determinou providências para que se prepare a visita que decidiu fazer ao Amapá, a fim de inspecionar as providências para o restabelecimento da normalidade, no fornecimento de energia elétrica no Estado. A área de segurança ponderou para que a visita se dê no sábado (21), até porque teria mais tempo para planejar inclusive a logística da visita, mas o presidente insistia até o fechamento desta edição para que a viagem ocorra ainda nesta sexta-feira (20). Bolsonaro também decidiu convidar o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, que é do Estado, e outros políticos para integrar a comitiva. O ministro de Minas e Energia, Bento Gonçalves, que se encontra em Macapá, deve aguardar a chegada do presidente à cidade. A população amapaense foi surpreendida pelo blecaute que atingiu todos os municípios. A expectativa é que tudo volte ao normal neste sábado.

Imposição de plano

Uma espécie de "internacional socialista" saiu das catacumbas para se juntar a ONGs, que perderam o dinheiro fácil dos governos do PT a e influência, para usar o Supremo Tribunal Federal (STF) a fim de impor a "política ambiental" que atende a seus interesses. Querem usar o STF em um golpe para obrigar o governo federal a seguir o Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal, criado pelas ONGs para o governo Lula e arrastado até o governo Temer. PT, PCdoB, PSB, Psol, PV, PDT e Rede, aliado do STF, se uniram a dez ONGs, incluindo estrangeiras, para na prática assumirem o governo. O grupo se aproveita da bandeira ambiental e aponta "tragédia" em 2019 e 2020. O auge do desmatamento, ignorado na ação, foi 1995 e 2004. Em 2004, governo Lula, o auge da destruição da Amazônia registrou 27,8 mil km2 de desmatamento. A "tragédia" de 2019, teve 10,1 mil km2. A Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) tem 153 páginas, dez das quais são usadas para "qualificar" as partes.

 

Sob tutela

Rodrigo Maia precisou pedir permissão ao STF para fazer tramitar a PEC da reforma administrativa. A decisão mostra que o fim do mandato como presidente da Câmara reduziu o poder de Maia sobre a própria pauta.

Fiscalizadas 

O jornalista Aldo Rebelo é o novo comentarista da BandNews TV. Em sua estreia, ontem, ele pediu a fiscalização das ONGs na Amazonia, cujas fontes de financiamento, inclusive do exterior, são desconhecidas. ONGs nunca prestam contas, lembra o ex-deputado e ex-ministro.

Orlando

Dono de 0,1% dos votos para prefeito de São Paulo, o deputado Orlando Silva (PCdoB) propõe lei que pune fornecedoras do governo por "atos de discriminação", mesmo praticados por terceiros em suas dependências.

Otimismo 

Em Maceió, um clima de euforia tomou conta do comitê de campanha do deputado JHC (PSB), candidato a prefeito de Maceió, com levantamentos internos animadores sobre a eleição de segundo turno.

Reeleição

Ao contrário do líder do governo, que é do seu partido, o presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PI), não acredita em votações no Congresso este ano. É que Rodrigo Maia e Alcolumbre só pensam em reeleição.

 

Frase 

"Vão para a Câmara dos Deputados e lá morrem", Senador Oriovisto Guimarães (Pode-PR), sobre projetos aprovados no Senado, como o fim do foro privilegiado e a prisão após condenação em segunda instância

 

Comentários

Últimas notícias