OPINIÃO

Em 2022, é provável que partidos de centro se unam a Lula na corrida presidencial

O petista teve suas condenações anuladas e agora poderá disputar as eleições de 2022. Confira a opinião de Cláudio Humberto

Cláudio Humberto
Cláudio Humberto
Publicado em 19/04/2021 às 6:53
Notícia
MIGUEL SCHINCARIOL / AFP
Lula foi às redes sociais comemorar apresentação do "superpedido" de impeachment - FOTO: MIGUEL SCHINCARIOL / AFP
Leitura:

Centro-esquerda

Com pré-candidatos tão arrogantes quanto desprovidos de votos e de talento político, é muito mais provável que os chamados "partidos de centro" se unam ao petista Lula, em 2022.

Anulação custou R$ 10 mi

A decisão do Supremo Tribunal Federal de anular as condenações do ex-presidiário Lula cinco anos depois, e voltar processos à estaca zero, vai custar ao bolso do contribuinte bobão no mínimo R$10 milhões só em gastos com pessoal. Levantamento junto às respectivas plataformas de Transparência mostra que essa foi a despesa aproximada do pagador de impostos com salários e benefícios auferidos por servidores mobilizados nas apurações, incluindo 13ª Vara Federal em Curitiba, TRF-4 e STJ.

Entre a denúncia do tríplex e a condenação mantida pelo STJ, foram 31 meses e cerca de R$5 milhões pagos a magistrados e auxiliares. No caso do sítio de Atibaia, foram 34 meses da denúncia à condenação em segunda instância. Mais R$5 milhões gastos para nada. O contribuinte, que teve a fortuna retirada do bolso e jogada fora, pagará tudo de novo, revelam os dados obtidos nas Transparências dos órgãos. O custo preciso do prejuízo provocado pela decisão do STF é maior e só vai aumentar, com o processo "zerado" e sujeito aos mesmos prazos.

Só grandes redes ganham

Consolida-se no meio empresarial a certeza de que longos períodos de lockdown no comércio, sobretudo em mercados como São Paulo, não reduzem os casos de covid, mas garantem a destruição do comércio presencial, nas ruas e shoppings. Até agora, 20% de todas as lojas do País fecharam em definitivo, enquanto grandes grupos de varejo se fortalecem, em cruel e impressionante sistema de transferência de renda. A última sexta (16), auge do lockdown no comércio, as lojas Americanas, de João Paulo Lehman, o mais rico brasileiro, bateu recordes na bolsa. O Magazine Luiza, da caridosa bilionária Maria Luiza Trajano, foi a empresa que mais ganhou na bolsa, depois das lojas Americanas. A Amazon adicionou US$700 bilhões ao seu valor de mercado em 2020 e já vale US$1,6 trilhão. O Mercado Livre dobrou para US$83 bilhões. 

Mui aliado

O mesmo Rodrigo Pacheco que não resistiu à ordem do STF de instalar a CPI contra o "aliado" Bolsonaro, não dificultou o quase impeachment do "aliado" Michel Temer. O ex-presidente só se livrou da degola no plenário da Câmara, após Pacheco "lavar as mãos" na CCJ que chefiava.

Úteis

Entre segunda (12) e sexta (16), o Brasil aplicou em média cerca de 900 mil doses de vacinas de covid, bem próximo da meta. Ao contabilizar os dados de sábado e domingo, essa média cai para pouco mais de 750 mil.

Para quê?

Em São Paulo, 31 cidades não arrecadam o bastante para pagar salários dos vereadores. Eles nem cogitam livrar os munícipes do sacrifício de manter seus privilégios em troca de duas sessões mensais.

Novos desafios

Após turbinar de R$7 para R$298 milhões o lucro da estatal de águas Caesb, Daniel Rossiter assumirá o Inas, instituto que cuida do plano de saúde dos servidores do DF, criado pelo governador Ibaneis Rocha.

Mais empresas

Dados do Mapa de Empresas do Ministério da Economia mostram que o Brasil criou 3,4 milhões de novas empresas no ano passado, o que representa um crescimento de 6% em relação a 2019.

Frase

Vamos obrigar o povo brasileiro a esquecer tudo isso?" - Ciro Gomes (PDT) sobre os crimes pelos quais o ex-presidente Lula foi condenado

 

Comentários

Últimas notícias