Vai viajar e não comprou dólar? Dica é parcelar

Diogo Menezes
Diogo Menezes
Publicado em 23/12/2014 às 7:00
Leitura:
Num pregão de baixo volume por causa do clima de feriado, o dólar voltou a fechar em alta ontem, seguindo a tendência. Quem deixou para comprar a moeda de última hora certamente irá desembolsar mais dinheiro nas férias. As casas de câmbio mais conhecidas no Recife estão, em geral, estão vendendo em espécie por um valor entre R$ 2,74 e R$ 2,76 e no pré-pago entre R$ 2,72 e R$ 2,74. Por precaução, o melhor agora é dividir a compra em algumas parcelas, para tentar conseguir uma taxa média: não será a melhor, mas também não será a pior.No site do Banco Central (www.bcb.gov.br), dá para calcular o que se chama de Valor Efetivo Total (VET), a soma de todos os custos envolvidos na operação, ou seja, taxa de câmbio mais tarifas mais tributos incidentes sobre essa operação. Mas afinal, é melhor usar em espécie, cartão de crédito e débito, cartão pré-pago? Depende. Se a pessoa busca economia, melhor optar pelo dinheiro vivo. Se conforto e segurança, melhor o pré-pago.Esta última modalidade sai mais cara porque, há um ano, a Fazenda elevou de 0,38% para 6,38% a alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) que incide em pagamentos em moeda estrangeira nas transações de câmbio. Nas transações em espécie, a alíquota é de 0,38%. O que se deve evitar é o cartão de crédito, para não ter surpresa na fatura, diz Edísio Pereira, da Europa Câmbio. A conta chega com a cotação do dia, que pode estar maior. A jornalista Luciana França terminou usando o crédito numa viagem a trabalho de última hora em outubro. Não queria perder a oportunidade, comprou computador, tablet, celular, bolsa, maquiagem. A cotação subiu para além de R$ 2,70, a fatura também.Lembrando que, para levar no travel (pré-pago), é preciso desembolsar algumas taxas, como aquisição do serviço, entre R$ 5 e R$ 10, e R$ 2,50 a cada saque. O valor do saque ficado limitado ao valor estipulado no país onde se está. A vantagem é que se consegue fixar um valor de conversão da moeda antes da viagem e dificulta a gastança caso o dinheiro acabe. A empresária Maria Alice Carvalho, por exemplo, não podia passar dos R$ 2 mil em dólar para uma viagem aos Estados Unidos, mas terminou comprando a moeda na véspera. Colocou a maior parte em travel e, com menos dólar nas mãos, não conseguiu trazer alguns equipamentos fotográficos que queria.Pedro Pragana, da Recife Câmbio, lembra da preferência pela compra do dólar também para quem vai turistar por países vizinhos como Peru, Argentina e Uruguai. Na Argentina, por exemplo, atualmente um dólar vale entre 12 e 15 pesos, no mercado de câmbio oficial (no paralelo, se consegue mais). Já comprando aqui, a cotação está entre 8 e 9 pesos.É preciso prestar atenção na declaração. Se sair do Brasil com mais de R$ 10 mil em espécie no bolso, é preciso prestar conta à Receita. Caso sobre dinheiro, muitas casas de câmbio garante a recompra do saldo a preço do dia. Outra opção é guardar esperando que a cotação suba ainda mais. O Relatório de Mercado Focus, divulgado ontem pelo BC aponta que a estimativa é que o dólar feche mais alto neste fim de ano no mercado de câmbio.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias