Feras do Colégio Santa Maria se despedem na Aula da Saudade

Publicado em 03/11/2017 às 19:17
Alunos e ex-alunos do Colégio Santa Maria encenaram uma peça para os colegas concluintes do ensino médio. Foto: Luiz Pessoa /  JC Imagem
FOTO: Alunos e ex-alunos do Colégio Santa Maria encenaram uma peça para os colegas concluintes do ensino médio. Foto: Luiz Pessoa / JC Imagem
Leitura:
Alunos e ex-alunos do Colégio Santa Maria encenaram uma peça para os colegas concluintes do ensino médio. Foto: Luiz Pessoa / JC Imagem Enfrente seus medos e vença-os. Nesta sexta-feira (03), antevéspera do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e com o nível de ansiedade nas alturas, cerca de 300 alunos do 3º ano do ensino médio do Colégio Santa Maria ouviram essa mensagem de colegas de turma e ex-alunos da escola, hoje universitários. Estavam todos na aula da saudade, atividade que marcou o encerramento das aulas para os vestibulandos e foi realizada de manhã, no auditório da escola. “Foi um momento de união, de alegria. Gostei muito”, comentou Maria Vitória Roselli, 18 anos, fera de engenharia de produção. “Adorei a aula da saudade. Uma despedida legal, pois é a última vez que ficamos todos juntos. Agora, haverá o Enem e as provas do SSA (Sistema Seriado de Avaliação, da Universidade de Pernambuco)”, afirmou Eduarda Caetano, 17, concorrente de medicina. O psicólogo Jânio Clímaco bateu um papo com os estudantes para motivá-los a enfrentar as provas com segurança e tranquilidade. Em seguida, 16 jovens encenaram a peça Mito ou Mentira?, dirigida pelo professor de linguagens Robson Telles. Os estudantes adoraram. Riram em vários momentos com a história que teve personagens como a Morte e o Conde Drácula. O grupo SOS Amizade, formado por um simpático trio de palhaços, realizou brincadeiras e ressaltou a importância da amizade e da união. Os feras fizeram alongamento, se abraçaram e relaxaram. Professores subiram no palco e também participaram dos jogos. Alguns docentes que não estavam presentes gravaram vídeos de estímulo para os alunos. “Farão falta. Torço por vocês”, disse Kenji Chung, professor de matemática. Para encerrar, alguns docentes se vestiram de carteiros e entregaram mensagens escritas pelos pais e amigos dos vestibulandos. Hora de abrir a porta do auditório para que as famílias dos estudantes os encontrassem para abraços e beijos de boa sorte para as provas de domingo.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias