Apoio da família é fundamental para quem vai fazer o Enem

Margarida Azevedo
Margarida Azevedo
Publicado em 20/10/2019 às 7:00
João (de camisa clara) conta com apoio do irmão Hugo e dos pais Alessandra e Mauro. Foto: Bianca Sousa / JC Imagem
João (de camisa clara) conta com apoio do irmão Hugo e dos pais Alessandra e Mauro. Foto: Bianca Sousa / JC Imagem
Leitura:
[caption id="attachment_7004" align="aligncenter" width="748"]"" João (de camisa clara) conta com apoio do irmão Hugo e dos pais Alessandra e Mauro. Foto: Bianca Sousa / JC Imagem[/caption]Na contagem regressiva para as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) faltam apenas duas semanas para a avaliação, nos dias 3 e 10 de novembro os estudantes estão com os nervos a flor da pele. Pais, irmãos, tios, avós e namorados são essenciais, nesse momento, para que a preparação dos vestibulandos não seja prejudica por causa do nervosismo. Estão inscritos cerca de 5,1 milhões de pessoas, das quais 275.327 farão os testes em Pernambuco. Desse universo, no País, 54,2% têm menos de 20 anos de idade. São, portanto, bem jovens para encarar o desafio de conquistar uma vaga no ensino superior.O momento agora é dar total apoio ao vestibulando, ser uma presença carinhosa. A hora de cobrar que estudasse já passou, diz o psicólogo clínico e escolar do Colégio Santa Maria, Jânio Clímaco. Naturalmente, se o jovem quiser continuar estudando, pode fazer. Mas deve partir dele e não por uma cobrança da família. E sem excesso. É fundamental estar emocionalmente tranquilo e fisicamente bem. Um estado depende do outro, complementa o psicólogo.

SUPORTE

Fera de direito, João Galli, 17 anos, encontra nos pais, Alessandra e Mauro, e no irmão Hugo, 20, o suporte emocional de que necessita. Minha família me ajuda bastante. Entende quando prefiro não sair pra ficar estudando, por exemplo. Gosto de assistir à TV com eles e de conversar, afirma o adolescente, concluinte do ensino médio do Colégio Santa Maria. O fato de ser o segundo a encarar o Enem ajuda. Hugo cursa jornalismo. Acho que a ansiedade dos meus pais em relação a mim é menor do que era com meu irmão, conta João.Alessandra concorda com o caçula. Aprendi a respeitar o tempo deles. Com Hugo eu cobrava que estudasse de manhã. Percebi que esse era o horário que eu gostava de estudar, que estava querendo que seguisse meus moldes, lembra a mãe do vestibulando.Para os pais tão (ou mais) estressados que os feras, o psicólogo Jânio Clímaco reforça que é fundamental não deixar transparecer para o estudante. O momento agora é do filho. O tempo de vestibular dos pais já passou, por mais que eles queiram um bom resultado. O ambiente familiar precisa ser sossegado, um espaço de guarida, de acolhimento, enfatiza.

RECONHECIMENTO

Reconhecer o esforço do vestibulando é uma das recomendações da coordenadora de Desenvolvimento Social do Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM), Fábia Siqueira. Quem está perto do estudante que fará o Enem deve passar autoconfiança. Mostrar que acredita nele, que seu esforço foi importante, diz Fábia.Também fera do Santa Maria, Marina Moraes, 16, conta que está bem nervosa nessa reta final. Pretendo só parar agora depois das provas. Minha mãe cobra que eu não durma tarde para não assistir às aulas com sono. Estou me empenhando bastante. Espero ter boas notas para conseguir uma vaga em arquitetura, afirma a aluna da unidade do Paiva, no Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife.

RESPIRAÇÃO

A dica do psicólogo André Souza, acostumado a receber jovens aflitos no seu consultório, é investir também no emocional no início do ano e não somente na véspera do Enem. O estímulo é maior para o lado cognitivo. Por causa do Enem, é comum o estudante deixar de fazer atividade física, diminuir o lazer. Se quer comemorar um bom resultado no fim tem que investir no meio, recomenda.Na Escola de Referência em Ensino Médio Cabo de Santo Agostinho, 21 alunos do 3º ano terão, a partir de amanhã, aulas de ioga. Vão aprender a usar a respiração a favor da concentração e do relaxamento. O projeto da professora Carmen Aguiar existe desde o ano passado. Começou com turmas do 1º ano e depois do 2º ano. Agora atenderá os vestibulandos.Quando fico nervosa perco a concentração. Tenho certeza de que essas aulas antes do Enem vão nos ajudar, acredita Maria Eduarda Gomes, 17, concorrente de direito.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias