Saiba as regras do Enem

Publicado em 27/10/2019 às 7:12
Precavida, Carolina leva cinco canetas pretas. E deixa o celular em casa. Foto: Alexandre Gondim / JC Imagem
FOTO: Precavida, Carolina leva cinco canetas pretas. E deixa o celular em casa. Foto: Alexandre Gondim / JC Imagem
Leitura:
Precavida, Carolina leva cinco canetas pretas. E deixa o celular em casa. Foto: Alexandre Gondim / JC Imagem Saber as respostas das 180 questões e escrever uma boa redação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é o desejo de todo candidato. Mas também é fundamental conhecer as regras do exame. Porque um vacilo no cumprimento das normas pode resultar na eliminação do fera ou um zero na dissertação. A uma semana do início da avaliação - as provas acontecerão nos próximos dois domingos, 3 e 10 de novembro - os participantes devem aproveitar os próximos dias para ler o edital e tirar dúvidas sobre o que é permitido e proibido. Não devem também descuidar da alimentação e das horas de sono. “Precaução nunca é demais. Um erro nessa reta final pode significar um ano inteiro de estudos perdido”, alerta o professor Moyses Barreto, um dos diretores da Direto ao Ponto, empresa de gestão educacional, inovação educacional e consultoria. Recomendação muito repetida, mas nem sempre considerada pelos feras, é a de conhecer o local de provas com antecedência. O endereço do prédio de cada estudante é informado no seu cartão de inscrição, disponível no site do participante. “Saber o local exato e a sala que vai fazer. Porque às vezes acontece de algumas instituições terem vários blocos, com acessos diferentes”, destaca Moyses. Uma das novidades deste ano é que os candidatos de Pernambuco - são 275.327 pessoas no Estado - farão as provas no mesmo horário que os colegas do Sudeste. Desde que o Enem virou porta de entrada para universidades públicas, por meio do Sisu, em 2009, esta será a primeira vez que não haverá horário de verão para os feras pernambucanos. Todos entrarão até 13h, com início do exame meia hora depois. Administrar o tempo de realização dos testes é um dos desafios. Não é permitido usar relógio e nenhum outro aparelho eletrônico. Para informar a passagem das horas, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão responsável pelo exame, coloca um marcador no quadro da sala. A cada meia hora é tirado um pedaço. Fera de engenharia, Manoel de Hollanda, 18 anos, optará por preencher o gabarito ao concluir cada questão respondida, em vez de deixar a tarefa para o final das provas. “Nos simulados que fiz no colégio testei as duas opções. Acho que ir marcando é melhor, ganho mais tempo”, conta o rapaz, aluno do Colégio Santa Maria.

ELIMINAÇÃO

Celular não é item proibido. Mas uma nova regra diz que será eliminado o candidato cujo aparelho emitir qualquer som, mesmo que esteja dentro do envelope lacrado fornecido pelo Inep. Maria Carolina Stamford, 18 anos, concorrente de medicina, prefere não levar o telefone. “Pode aumentar a ansiedade vendo redes sociais antes de entrar para o exame”, diz. Precavida, mantem consigo cinco canetas para responder as provas. Todas de tinta preta e fabricadas em material transparente, como exige o edital do Enem.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias