COLUNA ENEM E EDUCAÇÃO

UFRPE apresenta plano detalhado de funcionamento durante pandemia

Proposta está aberta para receber sugestões e comentários da comunidade acadêmica até sexta-feira (03). Depois será votada pelos conselhos da Rural para ser validada

Margarida Azevedo
Margarida Azevedo
Publicado em 29/06/2020 às 22:05
Notícia
ACERVO JC IMAGEM
Comunidade acadêmica tem cerca de 22 mil pessoas. Alunos, professores e técnicos podem participar da consulta pública - FOTO: ACERVO JC IMAGEM
Leitura:

Distanciamento mínimo de dois metros dos alunos nas salas de aula, funcionamento do Restaurante Universitário e das bibliotecas, acesso alternativos a prédios, implantação de um semestre extra, regras para provas e apresentações de projetos de conclusão de curso, horários de trabalho dos servidores. Esses são alguns itens que compõem um amplo plano de funcionamento da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) no contexto da pandemia do novo coronavírus. Até sexta-feira (03), a comunidade acadêmica, formada por cerca de 22 mil pessoas, entre alunos, professores e técnicos, pode participar de uma consulta pública para opinar e enviar sugestões ao documento.

A proposta foi dividida em nove eixos (ensino de graduação e técnico; pós-graduação; pesquisa; extensão e cultura; assistência estudantil, atividades administrativas; logística e infraestrutura; sistema integrado de bibliotecas e hospital veterinário). Na próxima semana, haverá a compilação do que foi recebido para que no dia 15 de julho o texto final seja avaliado e votado pelos três conselhos da universidade (Universitário; de Ensino, Pesquisa e Extensão; e de Curadores).

A Rural tem câmpus no Recife, Cabo de Santo Agostinho (Grande Recife), Garanhuns (Agreste) e Serra Talhada (Sertão), além do Colégio Agrícola Dom Agostinho Ikas (Codai), que oferece cursos técnicos em São Lourenço da Mata (RMR). As contribuições da comunidade universitária devem ser enviadas para o email sistematizacao.emergencial@ufrpe.br.

ENSINO NA GRADUAÇÃO

Para os cerca de 14 mil alunos das graduações, a proposta é a implementação de um Período Letivo Extraordinário (PLE) com duração de 10 semanas (aproximadamente dois meses e meio) e aulas exclusivamente remotas. A previsão é iniciá-lo até meados de agosto. Significa, portanto, que deve seguir até o final de outubro.

“O primeiro semestre letivo continua suspenso. O PLE, como o próprio nome diz, não é um período regular. Por isso a adesão de alunos e professores é voluntária. Serão ofertadas disciplinas que tiverem condições de serem operacionalizadas no modelo remoto”, explica a pró-reitora de ensino de graduação, Socorro Oliveira. Cada estudante poderá cursar até 240 horas de disciplinas.

“Atividades serão flexibilizadas durante o PLE, como avaliações, frequência, formato das aulas. Em vez de uma prova, um professor pode optar, por exemplo, em realizar avaliação contínua do aluno durante o período”, diz Socorro. As disciplinas utilizarão plataformas como a AVA (da própria UFRPE) ou outras como o Google Classroom. Recursos podem ser usados aproveitando redes sociais como Youtube, whatsapp e Hangouts.

Embora os calouros aprovados para o segundo semestre de 2020 ainda não estejam oficialmente matriculados (no início do ano eles realizam apenas a reserva de vagas, após aprovação no Sistema de Seleção Unificada, o Sisu), a pró-reitora diz que há um desejo de permitir que legalmente eles já possam também se matricular no PLE.

“Estamos trabalhando para encontrar alternativas para que eles possam participar”, informa Socorro. "Mas garantimos a esses estudantes que as vagas deles estão asseguradas, mesmo sem termos ainda previsão de quando o segundo semestre letivo deste ano vai começar", observa a pró-reitora. 

Veja algumas propostas do Plano de Funcionamento da UFRPE durante a pandemia

- Obrigatoriedade do uso de máscaras em qualquer ambiente da universidade
- Escala de trabalho com retomada gradual
- Separação das mesas e cadeiras em pelo menos 2 metros de distância. Para locais em que essa medida seja inviável, devido ao espaço, considerar o esquema de revezamento ou restrição temporária do uso desses locais.

- Limitação do número de pessoas permitidas nos elevadores ou banheiros a qualquer momento e atribuição de horários para cada departamento visitar copas ou estações de café no local.
- Limitações de acesso a Laboratórios de Pesquisa, com levantamento da área de cada laboratório para adequação do espaço, a fim de que a ocupação seja limitada ao acesso de uma pessoa a cada 10m². Data e horário de entrada, assim como o tempo de permanência deverão ser agendados com antecedência.
- Acessos alternativos aos prédios de ensino (como por exemplo pelas laterais ou fundos, visando a evitar a aglomerações)
- Maior espaçamento entre carteiras escolares
- Apoio logístico a eventual retomada do Restaurante Universitário (RU), a fim de promover distanciamento entre usuários e garantir outras formas de atendimento. Haverá sinalização dos ambientes, disponibilização de mobiliário ao ar livre, eventual apoio terceirizado.
- Verificação de temperatura corporal, com aquisição de termômetros digitais em infravermelho, além da instalação de pontos de medição de temperatura corporal dos servidores, colaboradores e estudantes na entrada dos prédios acadêmicos e administrativos

Sobre o Período Letivo Extraodinário

- Terá 10 semanas de duração, com previsão de começar até meados de agosto
- Todas as aulas serão remotas. Matrícula, monitoria, iniciação científica, defesa de TCC e estágio (quando possível) também serão remotos
- A adesão de alunos e professores é voluntária
- As disciplinas utilizarão plataformas como o AVA, o SIGA A e o Google Classorm. Outros recursos como redes sociais (Youtube, whatsApp e Hangout) podem ser usados.
- As provas poderão ser realizadas por meio de atividades entregues durante a disciplina. Não haverá semana específica para verificações de aprendizagem.
- As médias para aprovação continuam as mesmas, mas as reprovações não serão contabilizadas para o acompanhamento ou desligamento. Provas também poderão ser feitas de forma assíncrona (off line)
- Serão priorizadas atividades assíncronas com prazos flexíveis. Se houver atividade síncrona (ao vivo) mas o aluno não puder participar, ele não levará falta e nem terá prejuízo na nota final do curso
- Para aluno perto da formatura: se faltarem no máximo 360 horas para conclusão da graduação, o estudante poderá solicitar a abreviação do curso à coordenação. Ele será submetido à avaliação de uma banca específica
- O TCC poderá ser feito em vários formatos diferentes e com apresentação remota. Se a banca concordar, a defesa pode até ser assíncrona (gravada, sem ser ao vivo)

 

 

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias