COLUNA ENEM E EDUCAÇÃO

Contrários às aulas presenciais, professores da rede estadual de Pernambuco entram em greve

Paralisação dos professores começará segunda-feira (19), data programada pelo governo estadual para retomada das aulas presenciais, suspensas em 18 de março por causa da covid-19

Margarida Azevedo
Margarida Azevedo
Publicado em 15/04/2021 às 20:09
Notícia
Agência JCMazella/Sintepe
Sintepe defende aula presencial apenas quando os professores forem vacinados - FOTO: Agência JCMazella/Sintepe
Leitura:

atualizada às 21h41

Em assembleia virtual realizada nesta quinta-feira (15), professores da rede estadual decidiram que farão greve a partir de segunda-feira (19), data marcada pelo governo de Pernambuco para o início do retorno gradual das aulas presenciais. Devido à pandemia de covid-19, as atividades nas escolas do Estado foram suspensas em 18 de março.

Na reunião dos docentes, primeiro eles decidiram se teria greve. Foram 627 votantes. Desse total, 90,3% aprovaram a paralisação e 5,7% preferiram que não houvesse greve. Outros 4,2% se abstiveram.

Em uma segunda votação, foi apreciado o modelo da paralisação: se suspensão total das atividades (presenciais e remotas) ou se parcial (apenas das aulas presenciais). Houve 355 votos pela greve só das aulas presenciais e 146 pela paralisação geral, além de 14 abstenções. Significa que os professores continuarão trabalhando, mas com aulas remotas.

"Não voltaremos ao trabalho presencial, continuaremos com as atividades remotas, é greve pela vida dos professores,  dos administrativos, analistas, por nossos estudantes e comunidade escolar! Escola aberta só com vacina!", ressaltou a presidente do Sintepe, Valéria Silva. "Os trabalhadores em educação estão reivindicando ficar vivos! Esta greve é em defesa da saúde e da vida de toda a comunidade escolar", complementou a vice-presidente do sindicato, Ivete Caetano.

Por meio de nota, a Secretaria de Educação e Esportes de Pernambuco (SEE) lamentou a decisão dos professores. A SEE afirmou que, durante a pandemia, "sempre esteve apostando no diálogo como o caminho para construir um processo de retorno que pudesse beneficiar os nossos estudantes e nossa Educação", além de preservar os professores e demais trabalhadores da educação. 

Leia a íntegra do posicionamento 

A Secretaria de Educação e Esportes (SEE) lamenta a decisão tomada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe), durante assembleia da categoria, de decretar greve para as atividades presenciais, cujo calendário de retorno iniciaria a partir da próxima segunda-feira (19/04).

A Secretaria, dentro do processo de negociação e durante todo este período de enfrentamento à pandemia, sempre esteve apostando no diálogo como o caminho para construir um processo de retorno que pudesse beneficiar os nossos estudantes e nossa Educação, e que também atendesse as orientações das autoridades de saúde, para preservar também os professores e demais trabalhadores da educação.

Neste sentido, as unidades escolares da rede pública estadual foram preparadas desde o ano passado atendendo a todos os critérios estabelecidos no Protocolo Setorial. Essa adaptação permitiu, inclusive, que os estudantes do Ensino Médio retomassem ao ensino presencial desde outubro do ano passado com segurança e cumprimento dos protocolos.

Entretanto, apesar de todo o trabalho e da busca de um processo de retomada das aulas presenciais nas escolas estaduais de forma propositiva, a decretação da greve por parte do Sintepe prejudica o processo. A continuidade da interrupção das aulas presenciais implica em ampliar ainda mais o prejuízo para os estudantes que desejam voltar às escolas e, por isso, seguiremos atuando na busca por uma retomada segura e com a maior brevidade possível.

CRONOGRAMA

Nas escolas estaduais, o retorno das aulas presencias definido pelo governo começa segunda-feira com turmas da educação infantil, 1º ao 5º ano do ensino fundamental e 3º ano do ensino médio. 

Na semana seguinte, no dia 26 de abril, poderão voltar os estudantes dos 8º e 9º anos do ensino fundamental e 2º ano do ensino médio. Por último, no dia 3 de maio, a autorização é para os 6º e 7º anos do ensino fundamental e 1º ano do ensino médio.

PANDEMIA

A Secretaria Estadual de Saúde registrou, nesta quinta-feira (15), 1.868 casos de covid-19. Entre os confirmados, 152 (8%) são casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e 1.716 (92%) são leves. Agora, Pernambuco totaliza 376.983 pessoas que tiveram a doença, sendo 38.204 graves e 338.779 leves.

O boletim também informa que houve óbitos, ocorridos entre 10 de junho de 2020 e ontem, dia 14. Com isso, o Estado totaliza 13.051 mortes pela covid-19.

Comentários

Últimas da Coluna

Últimas notícias