COLUNA ENEM E EDUCAÇÃO

A 4 meses do Enem 2022, professores dão dicas para turbinar a preparação para as provas

Provas do Enem serão aplicadas nos dias 13 e 20 de novembro. São 3,3 milhões de inscritos. Exame é porta de entrada para mais de cem universidades públicas do Brasil

Margarida Azevedo
Cadastrado por
Margarida Azevedo
Publicado em 13/07/2022 às 18:23 | Atualizado em 13/07/2022 às 18:24
YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
Provas do Enem serão realizadas por 3,3 milhões de candidatos, nos dias 13 e 20 de novembro - FOTO: YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

A exatos quatro meses para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), muitos candidatos estão controlando a ansiedade. Ou em dúvida sobre quais matérias ou assuntos priorizar. Uma coisa é certa: vale planejar os estudos e executar o que se propôs para conseguir boas notas nas cinco provas da avaliação.

Em 13 de novembro os estudantes farão os primeiros testes: redação, ciências humanas e linguagens. Na semana seguinte, em 20 de novembro, serão aplicados os outros dois: matemática e ciências da natureza.

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo exame, ao todo 3.396.597 pessoas se inscreveram no Enem 2022, um aumento de 11,6% em relação à edição de 2021. Desse total, 3.331.531 farão a versão em papel (Enem tradicional) e 65.066, em computador (Enem digital).

Em Pernambuco, o Enem impresso vai ser realizado em 83 cidades e no arquipélago de Fernando de Noronha. O Enem digital acontecerá, no Estado, apenas no Recife, Caruaru e Petrolina.

COMPOSIÇÃO DAS PROVAS

No Enem, a prova de ciências humanas é composta por conteúdos de história, geografia, filosofia e sociologia. O teste de ciências da natureza tem assuntos de física, química e biologia.

Já a avaliação de linguagens aborda questões de português, língua estrangeira (inglês ou espanhol), literatura, artes e educação física. A única disciplina que aparece sozinha numa prova é matemática.

PLANEJAMENTO

Professor de biologia, Fernando Beltrão diz que ainda dá tempo sim de estudar e se preparar bem para o Enem. "Ainda faltam quatro meses. Dá tempo de aprender coisas novas, sobretudo se priorizar o que vai estudar. Peça ajuda aos professores, alunos mais experientes ou coordenadores para saber daquilo que ainda não aprendeu, o que é mais importante", afirma Fernandinho, como é mais chamado pelos seus alunos.

"É importante planejar, mas principalmente revisar e reforçar aquilo que o estudante domina. Conteúdos que domina, tem uma base boa, praticá-los vai ajudar muito", observa o professor.

Ele defende que o estudante tenha rotina nos estudos. "Quatro meses são mais de cem dias. Se em cada dia o aluno crescer 1% aumenta em 100% chance de passar. Dá para agir, se agir todos os dias. E de modo igualitário", destaca Fernando.

"Mais do que estudar 10h num dia, 5h no outro, meia hora no seguinte, é melhor estudar com consistência, sem altos e baixos. O maior motivo do insucesso é a inconstância, aquela pessoa que se dedica num dia, mas acontece uma pequena coisa e ela para de estudar", comenta o professor.

Fernandinho sugere ainda que o vestibulando não se compare aos outros colegas. "Evite pessoas que ficam comparando você. Tem que comparar a você mesmo. Não fique olhando para os outros. Se crescer um pouquinho por dia, vai crescer muito para o Enem", enfatiza. Outra fica é fazer simulados.

REDAÇÃO

A professora de redação Fernanda Bérgamo enumera três dicas para os vestibulandos antes destes quatro meses que antecedem o Enem.

"Manter-se atualizado. As informações atualizadas são a base da formação da opinião do candidato frente ao tema que normalmente é uma questão social atual. E se não for atual, é um situação que persiste como problemática social ao longo dos anos", diz Fernanda.

"Então se manter atualizado é a garantia de que o estudante terá repertório para expor sua opinião baseada em fatos. Isso é importantíssimo", destaca a professora.

A segunda dica é conhecer o gênero solicitado na redação do Enem: dissertativo-argumentativo. "Tem desconto pesado na correção o candidato que escreve apenas o texto no formato expositivo. A exposição das informações atualizadas é importante para mostrar que o vestibulando está antenado aos acontecimentos, mas essa exposição tem um propósito. Você expõe o fato para defender o ponto de vista. Essa defesa se dá por meio da argumentação", observa Fernanda.

"É preciso exercitar o gênero dissertativo argumentativo, portanto. E produzir textos até o Enem, pelo menos um por semana. E se comprometer a não cometer as falhas da redação anterior no texto seguinte", recomenda.

CRITÉRIOS DE CORREÇÃO DA REDAÇÃO

Por último, Fernanda ressalta que é fundamental saber os critérios de correção da redação do Enem. Uma vez conhecendo como seu texto será avaliado pelo corretor, mais chances de produzir uma boa redação.

"A competência um cobra o domínio do conhecimento da norma culta. A dois pede para mostrar que o estudante compreendeu o tema da redação, que apresenta repertório sociocultural variado e que domina o gênero dissertativo argumentativo", explica Fernanda.

"A terceira competência vai avaliar a capacidade do candidato de selecionar fatos e informações para defender o seu ponto de vista, ou seja, é a argumentação. A quatro é a coesão, pois o estudante tem que apresentar os mecanismos linguísticos na construção do texto", detalha a professora.

"A quinta e última competência avaliada, só é pedida pelo Enem, é finalizar o texto com uma proposta de intervenção do problema desenvolvido. Essa solução deve ser bem detalhada, apresentando agente, ação, meio e objetivo", ensina Fernanda.

ENSINO SUPERIOR

O Enem é porta de entrada para mais de 120 universidades públicas do Brasil que usam as notas do exame para selecionar os alunos de graduação, por meio do Sistema de Seleção Unificada.

Todas as cinco universidades públicas de Pernambuco participam do Sisu: UFPE, UFRPE, Univasf, UFAPE e UPE. As vagas nos cursos superiores do IFPE e do IF Sertão também são preenchidas por meio do Sisu.

É com a nota do Enem também que os estudantes podem pleitear bolsas em faculdades privadas, por meio do Programa Universidade para Todos (Prouni), ou financiamento estudantil por meio do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), do governo federal.

PESOS E PROVAS MAIS IMPORTANTES

Quem pretende se increver no Sisu, é fundamental ficar atento aos pesos e notas mínimas exigidas pelas universidades para cada curso. Essas informações são importantes para que o estudante invista mais naquelas disciplinas do Enem que farão a diferença no seu resultado final.

Comentários

Últimas notícias