Selva urbana

Felipe Vieira
Felipe Vieira
Publicado em 25/08/2012 às 8:05
Leitura:
Assunto em voga no Recife, a mobilidade urbana depende, e muito, da conduta dos cidadãos. Principalmente quando se vive em uma cidade histórica, não planejada e sem espaço para novas ruas como o Recife. Mas muita gente colabora para tumultuar o que já é difícil. Ontem de manhã havia vários carros parados sobre a nova ciclofaixa da Rua Sebastião Alves, Parnamirim. Como estavam na porta de uma escola, é de se supor que fossem de pais, dando mau exemplo aos filhos.Muitos ciclistas também não facilitam. Na Estrada do Arraial, Casa Amarela, uma mulher quase foi atropelada no início da tarde de ontem, por uma bicicleta na contramão. E ela estava na faixa de pedestres! Nesse caso, o mais curioso é que não falta guarda no cruzamento com a Rua Paula Batista, onde o caso ocorreu (inclusive, havia um nessa hora), mas eles não se dão ao trabalho de advertir os ciclistas sobre o risco de andar na contramão. Assim, a faixa exclusiva vira terra de todos e de ninguém.Outro problema grave são as motos. O engarrafamento na Avenida Norte, por exemplo, está levando motoclistas a cortar caminho pelas calçadas, principalmente nos trechos mais largos, como nas imediações da Rua Bela Vista. Essa conduta aliás, é bem comum no outro lado da cidade, na Rua Imperial. Assim, sem educação nem fiscalização eficaz para impor limites, a cidade avança para se converter em selva urbana.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias