A cidade é dos carros

Felipe Vieira
Felipe Vieira
Publicado em 25/11/2012 às 7:05
Leitura:
Definitivamente, não são os edifícios-garagens, prometidos pela Prefeitura do Recife, que vão tirar os carros das ruas. Afinal, como bem argumentou o doutor em transporte, Oswaldo Lima Neto, para chegar até eles, os carros vão continuar congestionando vias que já estão saturadas há tempos. Na verdade, não há milagre nem fórmula nova. Os carros só ficarão em casa quando houver alternativa melhor de deslocamento ou quando o poder público começa a cobrar caro de quem usa o espaço público como estacionamento permanente.Basta circular pelo Recife para perceber que muitas águas ainda vão rolar sob as belas pontes do Centro até que a população mais abastada se conscientize que terá de sacrificar um pouco de sua comodidade em prol do interesse coletivo. Se isso ainda está longe de acontecer, o poder público também é responsável. Afinal, quem vai abrir mão do conforto de um carro com ar-condicionado para andar um quilômetro e pegar um ônibus quente, lotado e com percurso longo demais?Muitos estão aderindo, de boa-vontade, à ideia de trocar o veículo pela bicicleta, mas esbarram no desrespeito de motoristas que não respeitam ciclovias e em guardas de trânsito que fingem não ver. A da Estrada do Arraial, em Casa Amarela, vive invadida por carros e motos. E apesar de sempre haver agentes na esquina com a Rua Paula Batista, parece que nunca multaram ninguém. Caso contrário, a conduta dos motoristas seria bem diferente.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias