Obras à espera de conclusão no Recife

Felipe Vieira
Felipe Vieira
Publicado em 03/01/2013 às 7:03
Leitura:
A primeira chuva do ano não foi forte, mas bastou para mostrar que o nova gestão municipal do Recife tem que priorizar a conclusão de obras que ficaram pela metade e podem acabar com transtornos históricos. O volume de água de ontem não chegou a 10 milímetros, mas já causou alagamento em áreas críticas, como as Avenida Boa Viagem, Recife e Marechal Mascarenhas de Morais, na Zona Sul.A causa do problema, ninguém ignora, é a falha na drenagem. A solução também não é desconhecida. É preciso alargar e requalificar canais e manter as galerias de águas pluviais limpas. Algumas obras foram iniciadas, mas ficaram pela metade. É o caso do canal do Serpro, em Parnamirim. A prefeitura começou o serviço de alargamento e revestimento, que pode acabar com as inundações no inverno, mas não concluiu porque existe uma favela - a comunidade Lemos Torres - no meio do caminho que precisa ser removida. A urbanização das margens do Canal de Santa Rosa, na Torre e Cordeiro, também não foi concretizada e o revestimento do Jordão corre o risco de virar lenda urbana.Essa última obra, do governo do Estado, é um exemplo acabado de morosidade e desperdício de dinheiro público. Deveria ter sido concluída em 2010, mas a Construtora Delta faliu depois do envolvimento no escândalo do bicheiro Carlos Cachoeira. O pouco serviço que fez foi colocar placas que já foram arrastadas pelas chuvas.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias