Exploração irracional da natureza

Publicado em 17/02/2013 às 7:07
Leitura:
A devastação de áreas que deveriam ser preservadas para construção de imóveis vai comprometer seriamente a qualidade de vida na Região Metropolitana do Recife se o poder público continuar fazendo vista grossa. A bola da vez é Paulista, onde os moradores denunciam o desmatamento acelerado da Mata do Frio para dar lugar a construções irregulares. Além das árvores arrancadas, animais estão sendo mortos. A agressão ao meio ambiente também é verificada no Cabo de Santo Agostinho. Quinta-feira, ambientalistas fizeram mais uma denúncia de desmatamento em Suape no Ministério Público Federal. Mangue, mata atlântica e restingas estão sendo sacrificadas em nome do “interesse social” (de quem?), com autorização do governo do Estado. No Recife, a Estrada de Pau Ferro, na mata da Guabiraba, já está cheia de construções irregulares. Até onde se sabe, não há qualquer repressão a essas práticas. A CPRH, responsável pelo licenciamento e fiscalização de obras em áreas verdes ou de preservação, não se destaca pela efetividade. E assim, as matas vão encolhendo a cada dia. É uma insanidade permitir tanta devastação em uma região onde a perspectiva é o aumento progressivo da temperatura. O lucro imediato de alguns pode custar a saúde de milhares. Vale à pena pagar tal preço pelo aclamado desenvolvimento?

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias