Recife: 100 dias depois

Publicado em 10/04/2013 às 7:15
Leitura:
A nova gestão do Recife completa 100 dias hoje. É o momento de definir a rota e seguir em frente com projetos que podem melhorar a qualidade de vida da população. Não é preciso elaborar nada, basta dar continuidade ao que já foi iniciado e ficou por concluir, como os conjuntos habitacionais. Mas a prefeitura parece ter outros planos. Ontem, anunciou a construção de um habitacional na comunidade Tabaiares, Ilha do Retiro, com recursos do projeto Capibaribe Melhor. O problema é que já existem outros quatro por fazer nesse mesmo projeto. A gestão passada anunciou a construção de um conjunto em Parnamirim, para instalar famílias que vivem às margens do canal da Rua Lemos Torres; dois na Iputinga (Casarão do Barbalho e Capibaribe 1) e outro no Monteiro (Capibaribe 2). Juntos, são 1.413 apartamentos, mas não há nem sinal de obras em nenhum desses locais. Isso sem falar em outros dois conjuntos inacabados no Centro do Recife: o Residencial dos Coelhos, que se arrasta desde 2006, e o da Vila Brasil, que o governo do Estado resolveu assumir. Talvez porque esse último, em Joana Bezerra, ficará ao lado da futura estação central fluvial. O projeto Capibaribe Melhor é de suma importância para dar moradia digna, com direito à saneamento básico, drenagem e iluminação, às famílias que vivem às margens do rio. Mas não adianta programar novas obras quando as primeiras, inclusive a ponte ligando Monteiro a Iputinga, ainda estão por fazer.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias