BR-232 e BR-101 deixam motoristas em compasso de espera em Pernambuco

Publicado em 01/07/2015 às 10:49
Leitura:
  cidades 01/07 cidades
01/07 Alvos de críticas constantes dos leitores, a BR-101 e a BR-232 voltam, mais uma vez, à ordem do dia. Principalmente depois das fortes chuvas registradas nas últimas 48 horas. É que elas deixaram ainda mais expostos os problemos de  drenagem, assim como buracos disfarçados de poças de água. O Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes (Dnit) lava as mãos. Diz que a culpa é do Estado. Nessa área, as notícias não são animadoras. E a população vai precisar de paciência. É que a Secretaria de Transportes está elaborando o projeto executivo de restauração da BR-232, que só deve ficar pronto em novembro desse ano. Isso significa que as obras, de fato, só vão começar em 2016, segundo previsão do próprio órgão oficial. Só no projeto executivo - que vai avaliar todas as necessidades da rodovia - estão sendo investidos R$ 4,5 milhões. Ainda não se sabe o total de investimentos que os reparos vão demandar. De acordo com a Secretaria dos Transportes, as intervenções contemplarão o trecho que fica entre o entrocamento da BR-408 até a BR-104. "A intervenção inclui restauração do pavimento e toda drenagem, além da colocação de balanças fixas e móveis". Como se sabe, o excesso de carga nos caminhões é um dos problemas que provocam degradação do asfalto.  Hoje a fiscalização quase não existe. Com as balanças, espera-se um controle maior.  A execução da obra está dividida em dois lotes: o primeiro vai do início da BR-232, no Curado, até Chã Grande. O segundo vai de Chã Grande até Caruaru, na região agreste. Ou seja, serão 130 quilômetros, justamente o trecho que é considerado mais crítico pelos motoristas. Por enquanto, os condutores ainda vão se deparar com sinalização vertical apagada, ou coberta pelo mato. E também com buracos, rachaduras, problemas no acostamento. Em nota enviada ao JC nas ruas, o Dnit informa que a BR-232 no trecho Recife-Caruaru é de responsabilidade do governo de Pernambuco, desde 202, quando foi firmado um convênio nesse sentido. E que a parte restante da rodovia está em boas condições. Também lembra que a requalificação da  BR-101 é de responsabilidade da Secretaria das Cidades, conforme define o termo de compromisso 1.115/2012. Isso "no trecho compreendido entre o km 51,6 (Paulista) até o km 82,3 (Jaboatão dos Guararapes). E acrescenta: "O restante da rodovia tem boas condições de trafegabilidade". Quanto à BR-101, a Secretaria das Cidades informa que deu início à Operação Tapa Buraco, com "reparos em pontos prioritários", onde se observa "riscos de acidentes ou retenção de trânsito". Embora os motoristas que transitam na rodovia neguem a existência de reparos, o governo de Pernambuco assegura que  está fazendo limpeza, drenagem, capinação e roçagem, além da construção de muros de arrimo. "Estão ocorrendo reparos no sentido Norte-Sul, no trecho de 30,7 quilômetros compreendido entre Abreu e Lima (km 51,6) e Jaboatão dos Guararapes ( km 82,4)", informa nota encaminhada  ao JC nas ruas. Difícil para a população é entender poeque duas rodovias federais, que deveriam ser cuidadas pelo Ministério dos Transportes, estão em mãos da gestão local. E o que é pior, em duas secretarias diferentes. Talvez só a politicagem explique.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias