Paço do Frevo enfrenta crise e pode fechar: funcionários estão de aviso prévio

Felipe Vieira
Felipe Vieira
Publicado em 17/12/2015 às 7:30
Uma das casas de maior destaque no roteiro cultural do Recife Antigo, Paço do Frevo enfrenta crise: funcionários de aviso prévio.
Uma das casas de maior destaque no roteiro cultural do Recife Antigo, Paço do Frevo enfrenta crise: funcionários de aviso prévio.
Leitura:
[caption id="attachment_7415" align="aligncenter" width="748"]"Uma Uma das casas de maior destaque no roteiro cultural do Recife Antigo, Paço do Frevo enfrenta crise: funcionários de aviso prévio.[/caption] Primeiro foi o Museu Cais do Sertão, que teve que reduzir os horários de visitação, devido às dificuldades orçamentárias. Agora a mesma coisa acontece com o Paço do Frevo, um dos equipamentos culturais mais solicitados do Recife Antigo, e que recebe entre 10 mil a 15 mil pessoas por mês. O Paço funcionava das nove às 18h durante os dias úteis, mas está fechando uma hora mais cedo, às 17h. Já aos finais de semana, o funcionamento que era das 12h às 19h, passou a ser das 14h às 18h. E o que é pior: está ameaçado de fechar. Isso porque todos os seus 56 funcionários estão de aviso prévio, enquanto o pessoal da vigilância e da limpeza encontra-se com salários atrasados. É que os repasses que seriam feitos pela Prefeitura estão irregulares, segundo o Diretor Presidente do Instituto de Desenvolvimento e Gestão, Ricardo Piquet. O IDG é responsável pelo gerenciamento da casa, totalmente dedicada á história do principal ritmo pernambucano.De acordo com o IDG, o deficit acumulado  já chega a R$ 425 mil. Caso o repasse do semestre, de R$ 1,7 milhão, não ocorra até o final de dezembro, o Paço emplaca 2016 com um rombo de R$ 2,125 milhões na conta, já no início do próximo ano.  Por esse motivo, o IDG começou a arrumar as malas, para cair fora do barco. "Não estamos rompendo com ninguém. Ao contrário, gostaríamos muito de  continuar servindo, mas da forma como a coisa está, não tem modelo que se sustente", afirma Ricardo Piquet, Diretor Presidente do IDG, responsável pelo gerenciamento, manutenção, pessoal e programação do Paço. Pelo contrato original,  o IDG receberia um total de R$ 4,5 milhões por ano, para gerir a Casa. No final do ano passado, devido às dificuldades financeiras, esse orçamento foi revisto para R$ 4 milhões. " Com os atrasos, fizemos um replanejamento para R$ 3,4 milhões", diz Piquet. O contrato firmado foi de dois anos, dando direito a uma renovação por mais dois. Depois, seria publicado um edital, para novas organizações sociais se habilitarem.Mas o IDG não mostra interesse em permanecer à frente do Paço, nas atuais circunstâncias. "Como o contrato foi de dois anos e os repasses estão irregulares, decidimos deixar todo mundo de aviso prévio", confirma Piquet, mostrando não ter mais interesse na renovação. Ou seja, sem os servidores, o que será do Paço? Só pode fechar, a não ser que eles sejam imediatamente substituídos, o que não é fácil.  Providência exige seleção, treinamento, além de tempo para edital convocando uma nova organização social que o gerisse. O Prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), no entanto, garantiu ao JC nas Ruas que o Paço não sofrerá prejuízo. Disse que regularizará os pagamentos. Assegurou, sem citar números, que tem orçamento para os repasses. A inconstância terminou provocando outro problema. É que além de receber verbas oficiais, o IDG trabalha com a captação de recursos para ajudar no financiamento de eventos e programação. "No ano passado, conseguimos captar R$ 400 mil junto a três grandes empresas. Esse ano, poderíamos ter captado o dobro, mas não o fizemos devido à insegurança", disse Piquet. O que o JC nas Ruas espera é que o Paço, tão lindo e querido, não fique abandonado. Como ocorre com o Teatro do Parque, por exemplo, um patrimônio da cidade, e que há tanto tempo está fechado. O IDG também gerencia o Cais do Sertão, e até o mês passado, tomava conta dos Parques da Macaxeira e Santana, ambos do Recife. No Rio, ficará responsável pelo Museu do Amanhã.Leia mais:Museu Cais do Sertão reduz horários de visitaMuseu do Amanhã quer inspirar atitudes sustentáveis nos visitantesPaço do Frevo faz arrastão com Pitombeira dos Quatro CantosParques da Jaqueira e da Macaxeira têm novo gestor e custo aumenta.Parque da Macaxeira vai trocar de gestão. Decisão sai na sexta-feiraDepois dos choques e do escuro, Parque da Macaxeira começa a perder o verde.Centros culturais de Pernambuco participam da Primavera dos MuseusDomingão no ritmo do Frevo no RecifePaço do Frevo e Cais do Sertão abrem em três segundas-feiras

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias