Só no pedal

Boa notícia. Rua do Futuro ganha ciclofaixa, interligando centro e Zona Norte

A presidente da CTTU, Taciana Ferreira, disse que, com o crescimento de ciclistas no dia a dia no trânsito, condutores de veículos motorizados devem ter mais respeito e redução de velocidade para um trânsito mais seguro

JAMILDO MELO
JAMILDO MELO
Publicado em 18/08/2021 às 7:27
RODOLFO LOEPERT/PCR
Ciclofaixa na Rua do Futuro - FOTO: RODOLFO LOEPERT/PCR
Leitura:

A Prefeitura da Cidade, por meio da Secretaria de Política Urbana e Licenciamento (Sepul) e da Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) iniciou, nesta terça-feira (17), a sinalização da ciclofaixa Rua do Futuro.

O equipamento fará a conexão entre as ciclofaixas Padre Roma, Rosarinho e Amélia, tendo sido vistoriado pelo prefeito João Campos no fim da noite deste primeiro dia de trabalho. A ciclofaixa vai contemplar pontos de interesse público como o Parque da Jaqueira.

Segundo a CTTU, agora o Recife passará a ter 72,6 km interligados entre o Centro e a Zona Norte.

Com 1 km de extensão, a ciclofaixa Rua do Futuro será importante para interligar áreas da Zona Norte que ainda não se conectavam com o Centro do Recife, além de contemplar o Parque da Jaqueira como um ponto de interesse público. O novo equipamento diminuirá a distância do Parque da Jaqueira até o Marco Zero em cerca de 3 quilômetros.

A intervenção faz parte do pacote de 10 km anunciados pelo Prefeito João Campos no mês de maio para entrega este ano. Desde então, foram entregues as ciclofaixas Santo Antônio (1 km), CDU (3 km), Beberibe (2 km) e Hipódromo (1 km). Até o final de setembro também será entregue a Ciclofaixa Lindolfo Collor (2 km), na Zona Oeste. Os novos equipamentos foram projetados em parceria com a Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária, referência mundial no assunto.

MALHA CICLOVIÁRIA

A malha cicloviária do Recife vem recebendo atenção devido à sua evolução nos últimos anos. A cidade foi uma das que mais avançou na execução do Plano Diretor Cicloviário de Pernambuco, com mais de 70% das rotas complementares sob responsabilidade da PCR cumpridas.

Em 2019, a capital pernambucana foi eleita a quarta cidade com a rede cicloviária mais acessível do Brasil em um índice do Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP), que contabiliza a população que está até 300 metros próximo a uma estrutura cicloviária.

"Durante a pandemia da covid-19, os técnicos da CTTU intensificaram os estudos e realizaram projetos para dar novas opções de deslocamento à população a fim de preservar o distanciamento social", diz a CTTU.

 

Comentários

Últimas notícias