SUPREMO

Centrão quer nome no STF e coloca Bolsonaro em impasse com evangélicos

Presidente está entre bases de sustentação

Augusto Tenório
Augusto Tenório
Publicado em 10/10/2021 às 16:50
ISAC NÓBREGA / DIVULGAÇÃO
O ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, e Jair Bolsonaro - FOTO: ISAC NÓBREGA / DIVULGAÇÃO
Leitura:

Jair Bolsonaro (sem partido) se encontra num impasse entre os evangélicos, sua base de sustentação popular, e o Centrão, sua coluna de apoio no congresso. De acordo com informações da Folha de São Paulo, o grupo de parlamentares quer um novo nome para a vaga aberta no Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo o jornal, o nome de Alexandre Cordeiro de Macedo, atual presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), estaria sendo trabalhado pelo ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP-PI); da Secretaria de Governo, Flávia Arruda (PL-DF); e de Comunicações, Fábio Faria (PSD-RN).

O problema é que o nome indicado por Bolsonaro ao STF teria de ser, nas palavras do presidente, "terrivelmente evangélico". Quando indicou Kassio Nunes Marques em outubro do ano passado, criou-se uma série de rusgas com o público dessa religião, que agora aguarda o nome conservador para defender sus pautas no Supremo.

Vale lembrar que Jair Bolsonaro (sem partido) já indicou à sabatina o nome de André Mendonça, advogado-geral da união. A indicação para a vaga de Marco Aurélio Mello, porém, incomodou o centrão.

Quem não parece gostar da ideia é Silas Malafaia. Em seu Twitter, a liderança evangélica escreveu: "Não adianta! Se barrarem André Mendonça, Bolsonaro vai indicar um outro terrivelmente evangélico para o STF".

Comentários

Últimas notícias