economia

Sem crise, Câmara de Vereadores do Recife encerra outubro com quase R$ 60 milhões em caixa

Os parlamentares estão insatisfeitos com as atuais acomodações da Casa.

JAMILDO MELO
JAMILDO MELO
Publicado em 09/11/2021 às 16:39
Divulgação
O retorno integral das reuniões só acontece a partir de 1º de fevereiro. O projeto de resolução que orienta a retomada foi aprovado por unanimidade - FOTO: Divulgação
Leitura:

Sem alarde, o Diário Oficial divulgou um balancete financeiro da Câmara de Vereadores do Recife do mês de outubro de 2021.

Segundo o documento oficial, a Câmara do Recife terminou agosto com R$ 59 milhões em caixa. A informação foi publicada nesta terça (9).

O valor "sobrou" no caixa dos vereadores mesmo após efetuarem despesas de R$ 12 milhões em outubro.

Em julho, foi divulgado o balanço do primeiro semestre de 2021 com sobra de R$ 51 milhões no caixa da Câmara. Agora, o novo balancete mostra mais R$ 8 milhões em sobra, passando de R$ 51 milhões para R$ 59 milhões.

A Câmara do Recife tem 39 vereadores.

O orçamento estimado de 2021 ficou R$ 160 milhões apenas para manter a Câmara.

Os saldos positivos da Câmara Municipal têm gerado “uma economia”.

Segundo vereadores, sob reserva de fonte, a Câmara Municipal tem “economizado” para comprar uma nova sede, que dê “conforto” aos vereadores e assessores.

Os parlamentares estão “insatisfeitos” com as atuais acomodações da Casa.

Reprodução/Diário Oficial
Valores formam uma espécie de porquinho para juntar poupança e comprar um prédio melhor - Reprodução/Diário Oficial

A volta presencial

A Câmara Municipal do Recife aprovou nesta terça-feira (09) o projeto de resolução 35/2021 da Comissão Executiva, que prevê o retorno das atividades presenciais em todos os departamentos do Poder Legislativo, já a partir desta quinta-feira (11).

Desta forma, os servidores podem retomar fisicamente às funções de origem.

Alguns setores, porém, vão funcionar com um modelo híbrido, mantendo jornadas tanto presenciais quanto em home office. Também volta a funcionar o atendimento ao público em horário pleno, das 8h às 17h, e o uso de máscaras segue obrigatório em todas as dependências da Câmara.

Os parlamentares definiram que as reuniões solenes e audiências públicas podem voltar a ocorrer na Casa de José Mariano, incluindo o plenário. As reuniões Ordinárias, no entanto, passam a funcionar de maneira híbrida, com a possibilidade dos discursos e debates em plenário, mas preservando as votações via online.

O retorno integral das reuniões só acontece a partir de 1º de fevereiro.

O projeto de resolução que orienta a retomada foi aprovado por unanimidade.

“Para nós é uma felicidade muito grande poder fazer esta transição. Significa que a vacinação está avançando e mais recifenses estão sendo imunizados, para que possamos voltar às atividades normais”, afirmou o presidente da Casa, Romerinho Jatobá (PSB).

A Câmara Municipal do Recife suspendeu parcialmente as atividades presenciais em 23 de março de 2020, adotando o sistema de home office, bem como reuniões por videoconferência.

Desde então, ocorre uma flexibilização gradativa de acordo com os indicadores da covid-19 ao longo dos últimos meses.

Mesmo com as restrições em vigor, Romerinho Jatobá destacou que a ação parlamentar não sofreu prejuízos durante o período, realizando inclusive a reunião mais longa da história da Câmara, com 10 horas de duração, que aconteceu em junho deste ano.

O primeiro-secretário, Eriberto Rafael (PP), disse que até novembro deste ano já foram elaborados e aprovados na Câmara, mais de 11 mil requerimentos, quando em todo o exercício de 2020 foram pouco mais de 7.800.

"Por conta deste êxito, parte do formato remoto será continuado. As reuniões das Comissões podem seguir de maneira virtual, dependendo da decisão dos presidentes de cada colegiado. Foi uma experiência bastante positiva e que trouxe resultados efetivos e mais dinamismo”, lembrou o primeiro-secretário.

Comentários

Últimas notícias