Combate ao vírus

Abrasel solicita ao Estado congelamento do IPVA e fiscalização educativa do passaporte vacinal nos bares e restaurantes

Pedidos foram apresentados nesta semana em que governo voltou a criar restrições para segurar contágio

JAMILDO MELO
JAMILDO MELO
Publicado em 14/01/2022 às 8:36
DIVULGAÇÃO
André Araújo, da Abrasel-PE, diz que setor irá cumprir determinação, mas receia queda no movimento - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes / Pernambuco (Abrasel em PE) iniciou um pleito, em conjunto com o trade turístico do estado, solicitando o congelamento do reajuste do IPVA 2022 por conta dos problemas econômicos e sociais causados pela pandemia e pelas frequentes medidas restritivas. O pedido tem proposta similar à lei aprovada pelo governo de Minas Gerais, que congelou a taxa de 2022 nos mesmos valores de 2021.

O ofício foi enviado ao governador Paulo Câmara e ao secretário de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Júlio. Assinam o documento a ABRASEL, ABEOC, ABAV, ABIH, RCVB, PGACVB, AHPG, UBRAFE E ABRACE. O arquivo na íntegra está anexado.

Além disso, a Abrasel em Pernambuco, na última quarta-feira (12), solicitou ao Governo do Estado uma fiscalização educativa da nova exigência de comprovante de vacinação nos bares e restaurantes, deixando claro também que a associação iniciará uma campanha de conscientização dos clientes.

Pleito: Fiscalização educativa acerca do passaporte de vacinação

Prezados Excelentíssimos Senhores,

Devido ao aumento dos casos da Covid-19 e da gripe H3N2 em Pernambuco, recebemos o anúncio de uma nova restrição para nosso segmento. Com posicionamento já conhecido, para a Abrasel em Pernambuco a medida será ineficaz devido a capilaridade do setor e a necessidade de uma operacionalização onerosa, onde deixa os funcionários em posição de se indispor diretamente com cliente, algo que no cenário atual pode causar uma ação desproporcional.

Com o objetivo de obedecer às especificidades do decreto e portaria, solicitamos uma fiscalização educativa durante a sua vigência. Apenas três dias não são suficientes para escalar, administrar e treinar a brigada de atendimento nos estabelecimentos, tornando a logística passível a erros.

Além disso, analisando a aplicabilidade no viés do consumidor onde será necessário carregar a carteira de vacinação de papel, material com baixa durabilidade, para todos os estabelecimentos que consomem alimentos e bebidas. Como comprovar a situação vacinal caso seja rasurado ou perdido? O Conecte-SUS não está em perfeito funcionamento, ainda não atualizado com segunda ou terceira dose de alguns cidadãos.

A Abrasel, certa de seu papel perante a sociedade, fará campanha motivacional para os estabelecimentos afixarem cartazes e adesivos informando as obrigatoriedades para o consumidor final. Porém, o papel educativo sobre a importância comunitária da vacinação poderá ser dos órgãos públicos, por isso, abriremos nossas portas para o Governo do Estado realizar campanhas de conscientização e ensinar a usabilidade dos aplicativos oficiais que servem como comprovante de vacinação.

Como já comprovado cientificamente, o setor de bares e restaurantes é um dos locais mais seguros para se frequentar, desde que continuem obedecendo aos protocolos sanitários e, de acordo com o PROCON, temos taxa de sucesso alta, mais de 94%, constatando que sempre seguimos as regras e as aplicamos com sucesso.

Pedimos que a proposta acima seja analisada e dialogada com a ABRASEL.

Cordialmente, CONSELHO ADMINISTRATIVO ABRASEL

Comentários

Últimas notícias