Pauta identitária

'Não há boa intenção' diz Paulo Muniz sobre proposta de acabar com dia dos Pais e das Mães no Recife

Vereador comenta proposta apresentada por vereador do PSOL

JAMILDO MELO
JAMILDO MELO
Publicado em 21/01/2022 às 15:32
Gabinete/Divulgação
Vereador do Recife Paulo - FOTO: Gabinete/Divulgação
Leitura:

Vereador Paulo Muniz, em artigo enviado ao blog

Promover a inclusão de todos os modelos familiares na sociedade é urgente. Mas para isso, não precisamos apagar o que já está na nossa cultura e calendário. O projeto de lei do vereador Ivan Moraes (PSOL), que quer substituir em creches e escolas públicas e privadas do Recife o Dia dos Pais e o Dia das Mães pelo Dia de Quem Cuida de Mim, é descabido.

Devemos abraçar as variações das conjunturas familiares sem desalinhar o que a sociedade faz com o que as instituições de ensino pregam. Por que não incorporar às atividades escolares o Dia Internacional da Família, criado pela ONU e celebrado desde 15 de maio de 1993, e aproveitar a data para conscientizar a população escolar sobre o respeito a todos os arranjos familiares? E por que excluir do calendário dias tão importantes como o dos pais e mães, que seguirão sendo comemorados fora daquele ambiente?

No meu projeto de revogação de leis municipais obsoletas e defasadas, o Revogaço, estamos avaliando não só a eficácia e utilização das regras em vigor, mas o impacto delas em toda a sociedade. Para que uma lei caia, é preciso um estudo sobre os reflexos econômicos, sociais e culturais para a população. O projeto que propõe Moraes não parece ter se debruçado sobre isso.
A conscientização sobre os direitos de toda e qualquer formação familiar, a difusão do respeito e a integração entre família e escola não passam pela exclusão das datas já existentes. Aqui, revogaço não cabe.

Se houvesse boa intenção, não haveria projeto para criar outra data; incorporaríamos o Dia da Família sem excluir as datas existentes.

DIVULGAÇÃO/CMR
Vereador Ivan Moraes (PSOL) - DIVULGAÇÃO/CMR

Comentários

Últimas notícias