RELIGIÃO

Os "influenciadores de cristo" e a disputa de narrativas na política

Nomes proeminentes da igreja evangélica estendem sua influência para além dos centros religiosos e, através das redes sociais, pautam a política nacional

Augusto Tenório
Augusto Tenório
Publicado em 30/01/2022 às 13:54
Reprodução/Instagram
André Valadão - FOTO: Reprodução/Instagram
Leitura:

Nomes proeminentes da igreja evangélica estendem sua influência para além dos centros religiosos e, através das redes sociais, pautam a política nacional. Reportagem da Rádio Jornal mostra como os "influenciadores de cristo" influenciam Brasília e conseguem transitar entre diferentes esferas de poder.

Nos Estados Unidos, recentemente, reuniram-se numa conferência de cunho conservador nomes como o ministro Fábio Faria e o blogueiro foragido Allan dos Santos. O evento foi organizado por André Valadão.

O pastor é nome de peso entre os evangélicos e, nas redes sociais, não se furta de comentar sobre política. Recentemente, gravou um vídeo dizendo que cristãos não podem ser comunistas e outro ironizando petistas. No Instagram Valadão reúne 4,8 milhões de seguidores.

Além de Valadão, outros três pastores associados ao conservadorismo, ou mesmo a Jair Bolsonaro, destacam-se como influenciadores nas redes: Silas Malafaia, Cláudio Duarte e Lucinho Barreto. Os quatro estão entre os cinco pastores mais seguidos nas redes sociais, com o primeiro lugar do ranking ocupado por Deive Leonardo.

Nota-se, porém, uma disputa de narrativas. Em contraponto ao discurso dos colegas, pastores como Henrique Vieira apresentam outra interpretação do evangelho, defendendo questões como justiça social e direitos humanos.

Comentários

Últimas notícias