VÍDEO

No Câmara do Cabo, eleição da mesa diretora é marcada por confusão e racha

A eleição para a mesa diretora da Câmara dos Vereadores do Cabo de Santo Agostinho, realizada de forma virtual na manhã desta quarta-feira

Augusto Tenório
Cadastrado por
Augusto Tenório
Publicado em 09/02/2022 às 15:32 | Atualizado em 09/02/2022 às 15:40
Câmara Municipal do Cabo de Santo Agostinho
Câmara Municipal do Cabo de Santo Agostinho
Leitura:

A eleição para a mesa diretora da Câmara dos Vereadores do Cabo de Santo Agostinho, realizada de forma virtual na manhã desta quarta-feira (9), foi marcada por confusões. Antes mesmo da sessão, como mostrou a coluna, o prefeito Keko do Armazém (PL) sancionou leis que permitiram a criação de auxílios pagos no contracheque dos parlamentares.

Concorreram ao cargo o vereador Ricardinho (MDB), governista que buscou a reeleição, e o Dr. Zé Carlos (PDT), do bloco oposicionista. O candidato da situação conseguiu vencer a disputa após ser necessária uma segunda rodada, forçada após um empate. O clima na casa é de racha, indicando que o chefe do executivo deve começar a enfrentar problemas no legislativo, onde transitava com tranquilidade.

A sessão foi tumultuada. Tereza da Bomboniere (PSC) se absteve, alegando que gostaria de ter sido candidata à presidência da Câmara. Quando a parlamentar declarou o voto, foi possível escutar gritos na sessão. Em certos momentos, falhas na conexão impediram os ouvintes de escutar a declaração de alguns parlamentares.

Após anunciar o empate, Ricardinho disse que, conforme o regimento, não sendo atingido quórum de 11 votos, iria se iniciar uma nova votação. Ele foi interrompido por Zeu da GVNET e Pedrinho da Galinha. Eles alegaram que a escolha seria a partir do critério de idade, favorecendo o candidato mais velho.

"Está errado, se precisar que eu mande um advogado aí, o senhor avise. Procure o procurador da casa", provocou o parlamentar Pedrinho da Galinha. Ricardinho, por sua vez, leu o inciso 1º do Artigo 29 do Regimento Interno.

"Concluída a apuração, o Presidente declarará o resultado e, se qualquer dos candidatos não alcançar a maioria absoluta dos votos dentre os votantes, proceder-se-á um segundo escrutínio para o cargo cujos candidatos não conseguiram a referida votação. Ao segundo escrutínio concorrerão os dois candidatos mais votados no primeiro, considerando-se eleito o que obtiver maioria simples", diz o inciso referido por Ricardinho.

Instagram @vereador.ricardinho
O vereador Ricardinho (MDB) - Instagram @vereador.ricardinho

O inciso segundo garante: "Se ocorrer empate, será considerado eleito o mais idoso dos concorrentes, e, se persistir o empate, disputarão o cargo por sorteio". Ricardinho iniciou uma nova votação, mas a confusão tomou conta da sessão.

Na segunda rodada, após ficar em silêncio durante alguns minutos e ser chamada em diversas oportunidades, Tereza da Bomboniere decidiu a eleição, votando em Ricardinho. Sueleide mudou o voto e também escolheu o candidato da situação.

Confusões na sessão da Câmara do Cabo seguiram

Pedrinho da Galinha interrompeu a votação de segundo secretário para reclamar com o presidente. "Avise a seu chefe de gabinete para colocar uma porta nova no meu gabinete. Ele danificou", reclamou o parlamentar, escutando uma resposta positiva de Ricardinho.

Sessões já demonstraram animosidade

Antes mesmo da eleição da mesa diretora, as sessões já mostravam-se conturbadas. Nas redes sociais dos moradores do Cabo, circula vídeo em tom jocoso das confusões ocorridas na Sessão Ordinária do dia 2 de fevereiro. Confira aqui o registro oficial da reunião.

Comentários

Últimas notícias