CARNAVAL

Música ao vivo: empresários pressionam governo contra possíveis punições

A entidade argumenta que, no decreto do governador Paulo Câmara, não há nenhum entrave relacionado à música ao vivo

Augusto Tenório
Augusto Tenório
Publicado em 14/02/2022 às 8:47
FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Música ao vivo - FOTO: FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Leitura:

Empresários representados pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) enviaram ofício às secretarias de Desenvolvimento Econômico e de Turismo e Lazer, pedindo o reforço nas informações sobre a permissão de música ao vivo durante o Carnaval em Pernambuco. O mais recente decreto proíbe shows durante o período de carnavalesco.

André Araújo, Presidente Abrasel em Pernambuco, entrou em contato com os secretários Geraldo Júlio (PSB) e Rodrigo Novaes (PSD), reconhecendo as novas restrições, mas alegou temeridade de punições de fiscalizações inadequadas.

A entidade argumenta que, no decreto do governador Paulo Câmara, não há nenhum entrave relacionado à música ao vivo. Dessa forma, empresários temem possíveis punições indevidas ao oferecerem o atrativo nos seus estabelecimentos durante o período carnavalesco.

"Solicitamos que a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e a Secretaria de Turismo e Lazer do estado, repasse a informação aos órgãos fiscais que o funcionamento da música ao vivo não foi alterado. Sabemos que não foi citado no decreto nenhum entrave com a musica ao vivo e por isso, estamos acobertados com publicação, porém, em outros momentos houveram diversas ocorrências de punições de fiscalizações inadequadas devido a uma interpretação errônea entre o que seria 'show' e 'música ao vivo'", diz o ofício enviado aos secretários.

Com a alta dos casos de covid-19,o limite de pessoas, em eventos no Estado de Pernambuco, será reduzido de 3.000 para 500 pessoas em locais abertos, e de 1.000 para 300 em locais fechados. O ponto facultativo foi cancelado.

Empresários representados pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) enviaram ofício às secretarias de Desenvolvimento Econômico e de Turismo e Lazer, pedindo o reforço nas informações sobre a permissão de música ao vivo durante o Carnaval em Pernambuco. O mais recente decreto proíbe shows durante o período de Carnaval no estado.

André Araújo, Presidente Abrasel em Pernambuco, entrou em contato com os secretários Geraldo Júlio (PSB) e Rodrigo Novaes (PSD), reconhecendo as novas restrições, mas alegou temeridade de punições de fiscalizações inadequadas.

A entidade argumenta que, no decreto do governador Paulo Câmara, não há nenhum entrave relacionado à música ao vivo. Dessa forma, empresários temem possíveis punições indevidas ao oferecerem o atrativo nos seus estabelecimentos durante o período carnavalesco.

"Solicitamos que a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e a Secretaria de Turismo e Lazer do estado, repasse a informação aos órgãos fiscais que o funcionamento da música ao vivo não foi alterado. Sabemos que não foi citado no decreto nenhum entrave com a musica ao vivo e por isso, estamos acobertados com publicação, porém, em outros momentos houveram diversas ocorrências de punições de fiscalizações inadequadas devido a uma interpretação errônea entre o que seria 'show' e 'música ao vivo'", diz o ofício enviado aos secretários.

Com a alta dos casos de covid-19,o limite de pessoas, em eventos no Estado de Pernambuco, será reduzido de 3.000 para 500 pessoas em locais abertos, e de 1.000 para 300 em locais fechados. O ponto facultativo foi cancelado.

 

Comentários

Últimas notícias