ELEIÇÕES 2022

Ciro Gomes diz que, se eleito presidente, vai abrir mão da reeleição

Pré-candidato à Presidência da República, Ciro Gomes criticou Lula e chamou Sergio Moro de "variante ômicron" de Bolsonaro

Augusto Tenório
Cadastrado por
Augusto Tenório
Publicado em 15/02/2022 às 10:53 | Atualizado em 15/02/2022 às 11:02
AURELIO ALVES / O POVO
DIFÍCIL Campanha do ex-ministro enfrenta cada vez mais obstáculos - FOTO: AURELIO ALVES / O POVO
Leitura:

Em entrevista concedida à Rádio CBN nesta terça-feira (15), Ciro Gomes (PDT) tenta dar continuidade à reação nas pesquisas. O pré-candidato defendeu a necessidade de mudanças no rumo econômico e prometeu, se eleito presidente da República, abrir mão da reeleição.

Segundo Ciro Gomes, o planejamento é antes da eleição, levar as pancadas pelas propostas feitas, como aumentar o imposto para os mais ricos. Somente depois de eleito, diz o pré-candidato, teria início a negociação, que se daria com os políticos já empossados.

O ex-governador do Ceará diz querer um novo acordo de governadores e prefeitos, a ser discutido na grande negociação da reforma. Será um novo pacto federativo para ajustar as finanças dos estados e municípios. Em caso de impasse, Ciro Gomes diz que exigiria votação por maioria simples pela autorização para plebiscito popular.

"Hoje em dia, quando se elege um cidadão, quem quer seu lugar, seja na situação ou oposição, trabalham diuturnamente para ele não acertar a mão, pois, caso contrário, vai ser reeleito. Então eu vou abrir mão da minha própria reeleição em troca da reforma", garantiu Ciro Gomes.

A mesma estratégia, de prometer não ser candidato à reeleição, foi adotada por Eduardo Leite (PSDB) ao se candidatar, com sucesso, ao Governo do Rio Grande do Sul em 2018. O governador gaúcho, porém, já cogita a recondução ao cargo.

Ainda na entrevista, Ciro Gomes criticou Lula (PT), líder nas pesquisas, pelo envolvimento com o Centrão e chamou Sergio Moro (Podemos) de "variante ômicron" de Bolsonaro.

Comentários

Últimas notícias