Eleições 2022

Em nota, Caboprev critica Lula Cabral e reitera prejuízo para previdência dos servidores

Aliado de Lula Cabral disse que vice-prefeito queria palco para disputar mandato estadual. Em resposta, entidade da prefeitura critica ex-prefeito.

JAMILDO MELO
JAMILDO MELO
Publicado em 05/03/2022 às 12:40
O CaboPrev é o órgão gestor do regime próprio de Previdência Social do município
(Foto: Reprodução Google Street View)
O CaboPrev é o órgão gestor do regime próprio de Previdência Social do município (Foto: Reprodução Google Street View)
Leitura:

 Veja abaixo a nota de esclarecimento da entidade enviada ao blog

A toda população cabense

Assunto: esclarecimento sobre as notícias divulgadas em jornais da região sobre a fala do Sr. Paulo Farias do Monte, aliado do Ex-Prefeito Lula Cabral investigado e réu de diversos processos nos investimentos dos fundos Terra Nova.

Prezados Senhores, o INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DO CABO DE SANTO AGOSTINHO – CABOPREV, vem esclarecer o que segue.

Em 2017 foi realizado a aplicação de R$ 92 milhões de reais, recursos do CABOPREV, em fundos denominados podres. Hoje nós temos comprovadamente um prejuízo superior a R$ 70 milhões de reais. Caso os fundos aplicados fossem fundos sem fraudes, a população cabense teria mais de R$ 102 milhões de reais, o que mostra nossa indignação com o investimento realizado.

Sobre o assunto, se observa nas investigações realizadas no Inquérito Policial do caso em comento, bem como na própria denúncia feita pelo Ministério Público Federal e pela Ação Civil Pública que está em seu devido curso processual, que a realização dos investimentos tinha uma única finalidade: garantir ao Ex-Prefeito do Cabo de Santo Agostinho, Lula Cabral, vantagens econômicas vultuosas (PROPINA).

Relembra-se que ocorreram, comprovadamente, reuniões entre os agentes das empresas dos fundos Terra Nova e o próprio Ex-Prefeito, inclusive com data, hora e local. Todas essas informações estão em incluídas nos processos que correm contra o Ex-Prefeito.

Foto: Léo Domingos/Divulgação
O MPF pede ainda a perda do cargo de prefeito e a devolução dos R$ 92 milhões - metade do patrimônio do Instituto de Previdência dos Servidores do município (Caboprev) - Foto: Léo Domingos/Divulgação

Além disso, há de se dizer que os investimentos realizados nos fundos foram concretizados sem análise prévia do comitê de investimentos, sem prévio credenciamento da empresa, sem análise de outras propostas disponíveis no mercado.

 

Inclusive, o comitê de investimentos solicitou 48 horas para analisar os fundos para a emissão de um parecer técnico da Consultoria de Investimentos contratada. Tal posicionamento foi levado ao Ex-Prefeito que, conforme documentação das investigações, se mostrou enfático ao dizer que era preciso fazer as aplicações ainda que sem a análise.

Mesmo sem aprovação do comitê de investimentos, antes do prazo solicitado, nas escuras, foi realizado a aplicação dos recursos do RPPS, sem os deveres mínimos de cautela, e contrariedade à deliberação do comitê de investimentos, que consta em ata acostada nos processos.

Por fim, reforçamos que tais informações estão devidamente comprovadas, por intermédio de diversas provas acostadas nos processos e investigações concluídas e que ainda correm sobre o caso. Por isso fizemos essa nota de esclarecimento para demonstrar nossa indignação com as inverdades dilvulgadas recentemente, queremos que a verdade sobressaia para a população cabense.

Na oportunidade, renovamos os votos de elevada estima e consideração.

Diretor Presidente do CABOPREV
Presidente do Conselho de Administração
Presidente do Conselho Fiscal

Comentários

Últimas notícias