Estado

Estado cria comissão para escolha de empresa privada para gerir previdência complementar dos servidores estaduais

A comissão é formada por servidores dos principais órgãos e poderes do Estado, como Tribunal de Justiça e Ministério Público.

JAMILDO MELO
JAMILDO MELO
Publicado em 08/03/2022 às 14:46
HEUDES REGIS/SEI
PERNAMBUCO Governador participou por vídeo na Alepe e fez balanço - FOTO: HEUDES REGIS/SEI
Leitura:

Portaria da Secretaria de Administração de Pernambuco criou a comissão que irá escolher a "Entidade Fechada de Previdência Complementar (EFPC) que irá gerir o Plano de Benefícios de previdência complementar dos servidores e membros do Estado de Pernambuco".

Ou seja, o Governo de Pernambuco irá escolher uma entidade privada para fazer a gestão dos investimentos para pagar as aposentadorias dos novos servidores estaduais.

O Estado pagará até o teto do INSS. Acima disso, ficará com a entidade privada.

A escolha da nova entidade é decorrente da reforma da previdência do Governo Federal.

De acordo com técnicos, a Emenda Constitucional 103, de 12 de novembro de 2019, estabeleceu a "obrigatoriedade de instituição do Regime de Previdência Complementar (RPC) pelos entes federativos que possuem Regime Próprio de Previdência Social (RPPS)".

A comissão é formada por servidores dos principais órgãos e poderes do Estado, como Tribunal de Justiça e Ministério Público.

Apesar da relevância do assunto para as pautas de esquerda e sindicalistas, os deputados estaduais da Frente Popular estão mantendo um grande silêncio sobre o tema.

Comentários

Últimas notícias