PERNAMBUCO

Briga entre prefeita e câmara municipal causa confusão em Sirinhaém

Troca de acusações, ameaças de paralisação do serviço público e protestos marcam a disputa política em Sirinhaém, no Litoral Sul de Pernambuco

Augusto Tenório
Cadastrado por
Augusto Tenório
Publicado em 14/03/2022 às 11:19 | Atualizado em 14/03/2022 às 17:24
REPRODUÇÃO DO INSTAGRAM/@CAMILAMACHADOPE
VERBA Prefeita de Sirinhaém, Camila Machado (PP), quer que o orçamento anual seja revisto pelos vereadores - FOTO: REPRODUÇÃO DO INSTAGRAM/@CAMILAMACHADOPE
Leitura:

Deflagrou-se em Sirinhaém, nas últimas semanas, um empasse político capaz de ameaçar o devido funcionamento da administração pública. No município, localizado no Litoral Sul de Pernambuco, a prefeita Camila Machado (PP) se encontra numa disputa contra a câmara municipal, presidida por Gutemberg Rodrigues (PSD).

Como o Jornal do Commercio noticiou, a prefeita foi a público denunciar uma suposta "manobra política" contra sua gestão. Segundo Camila Machado, a Câmara dos Vereadores aprovou o orçamento anual de R$ 124 milhões, mas destina grande parte desse montante para locais que não demandam investimentos urgentes.

De acordo com a prefeita, se a Lei Orçamentária Anual não for revista, a Prefeitura de Sirinhaém terá de promover uma demissão em massa e o funcionamento de serviços essenciais do município pode ficar ameaçado, assim como o reajuste dos professores. Segundo informações repassadas à coluna, a coleta de lixo já foi reduzida.

Mas a história complica-se. De acordo com Gutemberg Rodrigues, presidente da Câmara, tudo não passa de uma mentira para "justificar os desmantelos" da gestão de Camila Machado. O vereador também acusa a prefeita de organizar protestos, usando a máquina pública e servidores, para pressionar o legislativo.

Divulgação
Câmara dos vereadores de Sirinhaém - Divulgação

Segundo o vereador, além da Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2022, aprovada no final do ano passado, também já foi aprovada uma suplementação do erário para este ano.

"A Prefeitura tem recursos para suas obras e ações, principalmente na saúde e educação, bem como para o pagamento dos salários dos servidores. Aliás, nunca faltou recurso, se houver demissão será porque a Prefeitura ultrapassou o limite já estabelecido por esta Casa", disse o presidente da Câmara dos Vereadores de Sirinhaém.

Como conta o presidente da casa, a Prefeitura enviou outro projeto de suplementação e trabalha para aprovação sem análise das comissões. "Somos vereadores, nosso trabalho é fiscalizar o dinheiro público, é dinheiro do povo, e não podemos negligenciar nossa responsabilidade e nosso dever!", finalizou Gutemberg. 

Comentários

Últimas notícias