recursos hídricos

Governo Bolsonaro libera mais recursos para Adutora do Agreste. Anderson comemora

Com o aumento da inflação, as licitações dos trechos podem ser lançados mas não aparecem interessados

Jamildo Melo
Cadastrado por
Jamildo Melo
Publicado em 11/05/2022 às 19:01 | Atualizado em 12/05/2022 às 13:09
Divulgação
Na segunda, o pré-candidato convocou a bancada da legenda na Assembleia Legislativa e apresentou, como proposta para o plano de governo, projeto de lei que promete a universalização do acesso à água - FOTO: Divulgação
Leitura:

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) anunciou, na tarde desta quarta-feira (11), a liberação de R$ 20,7 milhões para a implantação da Adutora do Agreste Pernambucano. O ato contou com a presença do ex-ministro do Turismo e pré-candidato ao Senado, Gilson Machado (PL), além do ex-prefeito do Jaboatão dos Guararapes e pré-candidato ao Governo de Pernambuco, Anderson Ferreira (PL).

"A medida se dá em função da calamidade em que se encontra o estado perante a crise no sistema de abastecimento de água”, disse Anderson Ferreira. Os recursos podem estar relacionados à atualização de planilhas. Com o aumento da inflação, as licitações dos trechos podem ser lançados mas não aparecem interessados.

O empreendimento do Governo Federal é constituído por captação, estações elevatórias e de tratamento de água, com capacidade para fornecer até quatro litros de água por segundo. As adutoras do sistema têm alcance de 1,4 mil quilômetros e vai permitir o abastecimento de 68 cidades do estado.

“Esses recursos levarão água a milhares de pessoas, de pernambucanos, em particular, buscando melhorar a qualidade de vida de quem tem sido esquecido pelo governo Paulo Câmara (PSB)”, afirmou.

Na última segunda-feira (9), o pré-candidato, que preside o Partido Liberal no estado, convocou a bancada da legenda na Assembleia Legislativa e apresentou, como proposta para o plano de governo, um projeto de lei que promete a universalização do acesso à água.

“Algo que já poderia estar em funcionamento e beneficiando mais de dois milhões de pernambucanos, mas que, por alguma razão que foge à sensibilidade, o governo do PSB deixou de tratar como prioridade. Essa medida do presidente Jair Bolsonaro demonstra o cuidado para com os que mais precisam, diferentemente do que tem sido feito em Pernambuco”, afirmou.

Compesa rebate discurso de Anderson Ferreira sobre adutora

Em nota enviada à coluna, a Compesa apresentou contrapontos ao discurso do candidato oposicionista. A Companhia Pernambucana de Saneamento diz que o recurso ajuda, mas equivale a apenas uma parte valor prometido por Jair Bolsonaro para 2022. Segundo a empresa, foram garantidos R$ 100 milhões. Confira na íntegra:

Em época de pré-campanha onde, para alguns, vale mais confetes do que fatos reais, é de se esperar a efusiva comemoração do anúncio realizado nesta quarta-feira (11), por parte do Governo Federal, da liberação de R$ 20 milhões para as obras da Adutora do Agreste. Óbvio que é inegável que o recurso é importante para garantir a execução do empreendimento, que é estruturador para a região que mais sofre com a escassez de água em nosso Estado, porém está bem distante do valor prometido pelo Governo Bolsonaro para 2022 no montante de R$ 100 milhões. Esse valor, aliás, é primordial para que a obra não sofra mais uma vez descontinuidade. Se isso acontecer, a responsabilidade será do Governo Federal.

Vale ressaltar que quando, de fato, esses R$ 20 milhões entrarem no cofre do Estado, está será a primeira liberação realizada neste ano, situação bem diferente do Governo de Pernambuco que já desembolsou todo o montante que lhe cabe no convênio. Outro detalhe, mas não menos importante, é que esse repasse esgotará o valor previsto na LOA desse ano, ficando o Governo Federal sem previsão orçamentária para novos aportes.

Isso claramente demonstra que a Adutora do Agreste não foi, nem um pouco, priorizada pela União. Por sua vez, o Governo de Pernambuco já realizou toda a contrapartida que lhe cabia, faltando ao Governo Federal montante superior aos R$ 80 milhões.

Comentários

Últimas notícias