ELEIÇÕES 2022

Marília Arraes e André de Paula oficializam aliança em tom de 'frente ampla'

Intensificando as movimentações políticas desta semana, Marília Arraes (SD) e André de Paula (PSD) oficializaram nesta segunda (16) a aliança para as eleições deste ano em Pernambuco

Augusto Tenório
Cadastrado por
Augusto Tenório
Publicado em 16/05/2022 às 15:21 | Atualizado em 16/05/2022 às 18:26
Augusto Tenório/JC
André de Paula, presidente estadual do PSD e pré-candidato ao Senado, e Marília Arraes (SD), pré-candidata ao Governo de Pernambuco - FOTO: Augusto Tenório/JC
Leitura:

Intensificando as movimentações políticas desta semana, Marília Arraes (SD) e André de Paula (PSD) oficializaram nesta segunda (16) a aliança para as eleições deste ano em Pernambuco. A pré-candidata ao Governo e o pré-candidato ao Senado adotaram o tom de 'frente ampla' ao falar sobre a junção de dois representantes de polos distintos da política, unidos para derrotar a Frente Popular e apoiar Lula (PT).

No evento, Marília Arraes disse que Pernambuco precisa voltar a 'botar para moer', colocando a eleição de André de Paula como essencial para este processo. Ela destacou, também, a experiência política do deputado federal em Brasília. O parlamentar, atacado pela oposição socialista por votar junto com o Governo Bolsonaro na Câmara, chegou a fazer o "L" de Lula com a mão esquerda.

Marília Arraes, em tempo, reforçou o apoio dado pelo PSD nos estados no Nordeste ao presidente Lula. A legenda de Gilberto Kassab não conseguiu firmar acordo formal com o PT, mas liberou os diretórios estaduais para darem apoio a quem lhes interessasse na disputa nacional.

"Lula tem, assim como eu tenho, um inconformismo com a situação do nosso povo. (...) Isso aqui tem uma simetria com o lançamento da chapa Lula-Alckmin. (...) É um convite como forma de sinalizar que coloca-se de lado o passado diante do desafio de construir um novo momento para o país", citou André de Paula, ao lado de Marília Arraes, ao falar da sua união com a ex-petista, com carreira política associada à esquerda.

A pré-candidata, em tempo, disse que não vai se conter em fazer campanha pedindo voto para Lula, garantindo também um plano de governo em consonância com as diretrizes e linhas adotadas pelo pré-candidato do PT à Presidência da República. "Desde meu primeiro voto apoio Lula, agendas de campanha serão pensadas depois", disse.

Ainda sobre a união de polos distintos, André de Paula comparou Marília Arraes à figuras como Marco Maciel, Miguel Arraes e, também, Eduardo Campos pela "capacidade de dialogar". O deputado ainda anunciou que, diante da disposição de diálogo, mais partidos devem se juntar à pré-candidatura de Marília Arraes.

Facebook - Marília Arraes
Marília Arraes (SD) e André de Paula (PSD) - Facebook - Marília Arraes

André de Paula anunciou, no início do mês, que seria candidato ao Senado com ou sem a Frente Popular. O deputado, na mesma tarde, anunciou que junto com a candidatura do PSD estavam o PP de Eduardo da Fonte e o Avante de Sebastião Oliveira.

Nesse sentido, chamou atenção a ausência de Sebastião Oliveira no evento. No dia anterior, o governador Paulo Câmara (PSB) afirmou que a legenda deve ficar na Frente Popular, mas o presidente estadual do PSD deu a entender o contrário.

Questionado se Sebastião Oliveira vai ou não apoiar Marília Arraes, André de Paula disse que o presidente do Avante, "quando assume um compromisso ele segue em frente e não tem retrocesso. Isso aqui é um excelente indicativo de quem ele vai apoiar". Como o a coluna noticiou com exclusividade, o PP precisa resolver questões internas, mas deve se juntar à base do Solidariedade.

Sobre o rompimento com a Frente Popular, André de Paula indicou que a filha, Cacau de Paula, já comunicou ao prefeito João Campos (PSB) sua saída da Secretaria de Turismo. De acordo com o social democrata, a saída aconteceu em bons termos, assim como a de Rui Rocha do Instituto de Recursos Humanos do Governo de Pernambuco.

Troca de farpas de Marília Arraes com a Frente Popular

Durante seu discurso, Marília Arraes alfinetou os adversários: "Enquanto tem candidato ao governo administrando problemas na sua provável coligação, porque sequer solidez de coligação existe mais num grupo que se perdeu e quer somente o poder pelo poder. Tem candidato que é 'lulista problema', com lideranças disputando o senado... Enquanto isso estamos pensando nas soluções para Pernambuco. (...) Querem colar na imagem de Lula para amenizar a rejeição do governo".

Para André de Paula, o momento chama a responsabilidade dos democratas e, por isso, abandonou o que considera uma eleição confortável para reconduzir o mandato à Câmara dos Deputados em nome de concorrer ao Senado. O parlamentar considera a Câmara Alta a casa da "experiência e maturidade".

REDES SOCIAIS
Marília Arraes jogou foto de Lula com chapéu de palha nas redes sociais - REDES SOCIAIS

A fala pode ser entendida como um contraponto à sua adversária Teresa Leitão (PT), lançada pré-candidata ao Senado pela Frente Popular no dia anterior. Ela é deputada estadual, apresentada como um contraponto a Marília Arraes por continuar no PT e ser apoiada oficialmente por Lula.

Marília, em tempo, falou sobre as críticas feitas no domingo (16) pela Frente Popular, quando Humberto Costa (PT) disse que Lula não teria os pés em 'duas canoas', garantindo que o candidato petista terá um único palanque em Pernambuco.

"Lula disse que Danilo era o candidato do acordo e citou que já teve dois palanques em Pernambuco. Quem deseja apoiar precisa buscar a maior quantidade de apoios possível. Se Lula pudesse ter quatro ou cinco palanques seria ótimo, mas tem gente com objetivos menores", disse Marília Arraes.

Questionada se as 'indiretas' da Frente Popular à sua candidatura significam que o primeiro embate na pré-campanha é com Danilo Cabral, Marília Arraes demonstrou irritação.

"Eles devem estar preocupados, mas o povo vai julgar a baixaria e a forma como eles conduzem as eleições. Estamos preparados para isso, mas vamos fazer uma campanha de alto nível", disse Marília Arraes ao ser questionada se ela seria considerada a primeira adversária do PSB na eleição pelo Governo de Pernambuco.

Comentários

Últimas notícias